Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Ifam reativará curso de Mineração em 2012 para atender demanda no Amazonas

Titular da SEMGRH, Daniel Nava, diz que atualmente os profissionais contratados no Amazonas estão sendo importados do Rio Grande do Norte

Mina do Pitinga

Ideia do governo é formar especialistas para atuar em exploração de cassiterita, na Mina do Pitinga (Arquivo/A Crítica )

O Instituto Federal do Amazonas (Ifam) vai retomar o curso Técnico em Mineração, que havia sido desativado nos anos 90. A previsão é que o processo de seleção seja realizado ainda este ano. A retomada do curso faz parte de uma parceria com a Secretaria de Mineração, Geodiversidade e Recursos Hídricos (SEMGRH).

De acordo com o titular da SEMGRH, Daniel Nava a retomada do curso vai atender a procura por recursos humanos pelas de mineração e petrolíferas.

Segundo o secretário, atualmente, os profissionais contratados no Amazonas estão sendo importados do Rio Grande do Norte, onde o próprio governo federal mantém um curso nesta área.

A proposta é implantar o curso no município de Presidente Figueiredo onde o grupo Minsur/Mineração Taboca atua na exploração de cassiterita, minério de onde é extraído o estanho, na Mina do Pitinga.

Projetos

Segundo o reitor do Ifam, João Dias, o Instituto já está elaborando processos seletivos para oferecer também cursos técnicos nas áreas de eletrônica e mecânica para atender solicitação da mineradora e, acredita que não haverá dificuldade em formatar o curso proposto pela SEMGRH.

O reitor informou que o acordo de cooperação com a Secretaria de Mineração deverá ser executado com a participação da Fundação de Apoio ao Ensino e Pesquisa no Interior (Faepi).

Mais três outros projetos foram propostos ao Ifam pela SEMGRH, um para monitoramento da qualidade da água nos municípios da Região do Alto Solimões, como parte das ações do Plano Estadual de Recursos Hídricos; outro na formação profissional na área de óleo e gás, no município de Coari; e o terceiro relacionado à utilização de insumos agrominerais.

Neste caso, a ideia, segundo Daniel Nava, é aproveitar a experiência dos professores da antiga Escola Agrotécnica de Manaus na elaboração de um plano diretor para disciplinar a exploração e uso dos insumos agrominerais, como calcário e potássio (silvinita), na produção agrícola e também na atividade de pecuária.

Insumos minerais

A secretaria também firmou parceria com Fucapi com o objetivo de identificar junto às empresas do Polo Industrial de Manaus a demanda por insumos minerais e óleo e gás, em seus processos produtivos.

“A exemplo do estanho que é utilizado na forma de solda por algumas indústrias, todo minério é beneficiado em São Paulo, a partir da mina do Pitinga. Nossa ideia é mudar essa relação. A partir do trabalho que será feito pelo Fucapi, justificaremos novos investimentos na indústria de transformação mineral, aqui no Estado, de modo que os recursos minerais existentes possam atender os processos produtivos industriais”, explica Daniel Nava.