Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Pescadores iniciam pesca de pirarucu manejado na Reserva Amanã no município de Maraã (AM)

Entre os dias 14 e 15 de outubro, haverá uma Feira de Pirarucu no município de Tefé para venda direta ao consumidor

Pirarucu é uma das principais espécies da fauna aquática da RDS Mamirauá. Pesca pode ser feita apenas de forma manejada.

Pirarucu é uma das principais espécies da fauna aquática da RDS Mamirauá. Pesca pode ser feita apenas de forma manejada. (Márcio James/A Crítica )

Pescadores que integram o Acordo de Pesca do Pantaleão, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã, município de Maraã (a 634 quilômetros a noroeste de Manaus) iniciaram a pesca de pirarucu manejado de 2011, no último final de semana.

A atividade é gerida por pescadores urbanos das Colônias Z-4, de Tefé (a 523 quilômetros a oeste de Manaus), e Z-23, de Alvarães (a 531 quilômetros a oeste de Manaus), e pelos moradores das comunidades do entorno, que integram o Setor São José.

Cerca de 300 pessoas se revezam nas atividades de manejo e estas devem pescar 800 pirarucus, que corresponde à cota autorizada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), até o início de novembro.

De acordo com Natazildo de Almeida, presidente da Colônia de Pescadores de Tefé, a produção já está toda comercializada e foi vendida ao preço de R$ 5 o quilo do peixe in natura. O comprador disponibilizou um barco que fica junto a base de processamento armazenando o peixe. Também haverá uma Feira de Pirarucu, entre os dias 14 e 15 de outubro, no município de Tefé (a 523 quilômetros a oeste de Manaus) para venda direta ao consumidor final.

Em 2010, a pesca de pirarucu manejado beneficiou 922 pescadores de 20 comunidades ribeirinhas e de três Colônias de Pescadores. Foram capturados 4.653 pirarucus e comercializadas mais de 220 toneladas. Esta cota pescada representa cerca de 20 a 30% dos estoques de adultos contados nos lagos, regra básica para assegurar a reprodução e a continuidade da população.

A média do peso dos pirarucus pescados foi de 47kg e a média dos comprimentos de 174 centímetros. O tamanho permitido para a pesca deve ser superior a 150 centímetros. O faturamento total bruto da venda do pescado em 2010 foi de R$ 962.367,80. Os rendimentos são distribuídos entre os pescadores por meio de suas associações ou colônias.

As informações são da assessoria de comunicação do Instituto Mamirauá.