Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Convênio entre Sepror e BNDES garante R$ 14,9 milhões ao AM

Recursos do Fundo Amazônia irão estimular atividades produtivas nas comunidades indígenas e extrativistas do estado

Guilherme Lacerda e Eron Bezerra

Contrato foi assinado nesta quinta (12), no Rio de Janeiro (Divulgação/Agecom: Ari Silveira)

O estado do Amazonas vai receber R$ 14,9 milhões do Fundo Amazônia para estimular atividades produtivas sustentáveis de comunidades tradicionais e povos indígenas. O contrato da operação foi assinado nesta quinta (12), no Rio de Janeiro, pelo diretor da área de Meio Ambiente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Guilherme Lacerda, e pelo titular da Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror), Eron Bezerra.

“É a consolidação de uma política que a Sepror vem desenvolvendo. Não há desenvolvimento sem sustentabilidade e nem sustentabilidade sem desenvolvimento”, ressaltou o secretário de produção rural.

A operação com recursos não reembolsáveis tem como objetivo apoiar iniciativas de conservação e uso sustentável dos ativos florestais do Estado do Amazonas, por meio do estímulo à retomada da exploração de seringais nativos e da agregação de valor à cadeia da castanha-do-Brasil junto à população tradicional extrativista. O projeto também visa ao fomento de atividades produtivas em comunidades indígenas, além de estudos, capacitação e assistência técnica rural.

De acordo com Eron Bezerra, 41 municípios serão beneficiados diretamente com ações provenientes deste convênio. “Iremos reforçar o extrativismo com sustentabilidade, investiremos em novos kits sangria, haverá ampliação no número de técnicos direcionados a atender e estimular a agricultura indígena e, será construída uma fábrica de castanha em Tefé. É uma série de benefícios que orgulha todos que atuam no Sistema Sepror”.

Atividades sustentáveis
Outro importante mérito do projeto é sua contribuição para a promoção de atividades produtivas sustentáveis como alternativa para a manutenção da “floresta em pé”, em benefício do público-alvo prioritário do Fundo Amazônia, representado por povos indígenas e extrativistas. Tal iniciativa está em consonância com as diretrizes nacionais da Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais (PNPCT).

Além disso, dois municípios incluídos no projeto (Boca do Acre e Lábrea) encontram-se na lista de localidades prioritárias para ações de combate ao desmatamento do Ministério do Meio Ambiente (MMA). Eron Bezerra acrescentou ainda que se discute junto a representantes do Fundo Amazônia a viabilização de convênio para estimulara piscicultura no Amazonas.