Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Dilma convoca comissão para pacificar conflitos em Humaitá

Presidente estabeleceu a medida após reunião que ocorreu nesta quinta-feira (9) no Palácio da Alvorada, juntamente com o vice-presidente da República, Michel Temer, e o general Eduardo Villas Bôas

População revoltada promoveu caos em Humaitá (AM)

População revoltada promoveu caos em Humaitá (AM) (Raolin Magalhães/Freelancer)

Uma comissão da Secretaria-Geral da Presidência da República deve ir à terra indígena Tenharim, localizada no município de Humaitá (a 591 quilômetros de Manaus), sul do Amazonas, para dar condução no processo de pacificação entre índios e moradores da região. A presidente Dilma Roussef determinou a ida do grupo no início da tarde desta quinta-feira (9).

De acordo com portal Amazônia Real, Dilma estabeleceu a medida após reunião que ocorreu nesta quinta no Palácio da Alvorada, juntamente com o vice-presidente da República, Michel Temer, e o general Eduardo Villas Bôas, comandante militar da Amazônia, do Exército, além de autoridades da Secretaria-Geral.

Em entrevista ao Amazônia Real, o coordenador-geral de Movimentos do Campo e Territórios da Secretaria, Nilton Tubino, informou que o comitê vem de Brasília para o Amazonas com o objetivo de iniciar as negociações com os índios na reserva Tenharim.

A tensão aumentou na região depois que o cacique Aurélio Tenharim anunciou ao general Eduardo Villas Bôas, na segunda-feira (6), em reunião na aldeia Marmelos, que os índios tenharim e jiahui irão retornar com a cobrança de pedágios no dia 1 de fevereiro. O cacique reclamou da ausência do Executivo no processo de paz.

O portal também informou que depois da reunião com os índios, segundo o Comando Militar da Amazônia, o general Villas Bôas foi convocado pela presidente Dilma na última quarta-feira (8) às 22 horas para reunião em Brasília. 

*Com informações do portal Amazônia Real