Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Familiares identificam dois dos corpos de desaparecidos em Humaitá (AM)

Segundo IML de Porto Velho (RO), identificação dos familiares confirmou que dois dos cadáveres encontrados realmente são de desaparecidos. A Polícia Federal de Rondônia ainda não se posicionou oficialmente sobre o caso

Força tarefa investiga há um mês desaparecimento de homens na rodovia Transamazônica

Dois corpos encontrados são de trabalhadores desaparecidos em reserva indígena no AM (Clovis Miranda)

Dois dos três corpos encontrados nesta segunda-feira (3) dos homens desaparecidos na reserva indígena Tenharim-Marmelos, no município de Humaitá (distante 590 quilômetros de Manaus) desde o dia 16 de dezembro de 2013, foram reconhecidos pelos familiares no Instituto Médico Legal (IML) de Porto Velho (RO) na tarde desta terça-feira (4). 

A esposa de Stef Pinheiro e a mãe de Luciano Freire fizeram a identificação dos corpos que, segundo a polícia, estavam com sinais de tiros. A outra vítima é o funcionário da Eletrobras Aldeney Ribeiro, que dirigia o carro e viajava com os colegas de Humaitá para Apuí, como fazia rotineiramente.

Segundo informações do IML, há chances mínimas dos restos mortais localizados não serem dos trabalhadores, porém é necessário o término das identificações por parte dos parentes e a posição oficial da Polícia Federal. O órgão também informou que os corpos serão liberados ainda nesta terça-feira (4) e devem seguir para Humaitá.

A Polícia Civil de Humaitá informou que com a prisão dos indígenas, a localização dos cadáveres foi facilitada, tendo em vista depoimentos e informações que foram colhidas pela PF. 

Segundo o delegado regional de crime organizado da Polícia Federal de Rondônia, Arcelino Damasceno, dependendo do andamento das investigações sobre o desaparecimento de três homens, supostamente dentro da terra indígena Tenharim Marmelos, na rodovia Transamazônica, a Polícia Federal pode pedir a prorrogação da prisão temporária dos cinco índios da etnia tenharim, presos desde a última quinta-feira, 30, ou a prisão preventiva.

Se for comprovado oficialmente que os três corpos encontrados pela PF nesta segunda-feira (3) são do professor Stef Pinheiro de Souza, 43, do comerciante Luciano da Conceição Ferreira Freire, 30, e do técnico da Eletrobras Amazonas Energia, Aldeney Ribeiro Salvador, 40, isso irá “fortalecer ainda mais o inquérito sobre o caso”.

Corpos

Os três corpos encontrados nessa segunda-feira (3) estavam enterrados em uma única vala e possuíam características de execução por arma de fogo. A informação foi confirmada pelo oficial que integra o Policiamento do Estado do Amazonas (CPE-AM), tenente Paulo Sérgio Cordeiro.

Segundo ele, o cão da raça labrador, Hórus, foi um dos principais responsáveis por encontrar os cadáveres, que estavam em estado avançado de decomposição.

“Mesmo com as dificuldades da busca em floresta, como a alta umidade, fortes ventos e depois de um dia exaustivo de busca, o Hórus conseguiu nos mostrar que havia algo errado no local. Ele insistentemente nos transmitia isso. E de fato existia, eles estavam pelo menos 2 metros debaixo dos nossos pés”, ressaltou o tenente.