Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

IPAAM e Marinha fiscalizam embarcações durante o Festival Folclórico de Parintins

Ação tem o objetivo de garantir a segurança dos viajantes e combater crimes contra a fauna. Operação é feita em parceria com a Marinha do Brasil

Ação tem o objetivo de combater crimes contra a fauna do Amazonas

Ação tem o objetivo de combater crimes contra a fauna do Amazonas (Divulgação)

O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (IPAAM) irá integrar a Operação Parintins, realizada pela Marinha do Brasil, por meio do Comando do 9º Distrito Naval, para fiscalizar todas as embarcações com destino ao Festival Folclórico de Parintins (localizado a 368 quilômetros de Manaus). O objetivo da ação é garantir a segurança dos viajantes e o cumprimento das leis referentes ao meio ambiente, tráfico de drogas e de pessoas, sonegação de tributos, exploração sexual de menores e adolescentes e condições ilegais de trabalho.

Três técnicos do IPAAM acompanham a Operação Parintins 2014 desde a última terça-feira (24), junto ao posto de fiscalização montado pela Marinha no Encontro das Águas. Segundo o presidente do órgão, Antonio Ademir Stroski, nesse ano o principal foco é o combate aos crimes contra a fauna.

As embarcações paradas pelo Distrito Naval são vistoriadas pelo IPAAM quanto à presença de animais silvestres adquiridos de forma ilegal, como quelônios e pescado, bem como animais vivos que possam servir ao tráfico de animais silvestres. Ainda, transporte e comercialização ilegal de penas, dentes e couro de animais.

Conforme Lei Federal no 9.605/1998 (Lei de Crimes Ambientais) é proibido vender, comprar, transportar ou utilizar animais da fauna silvestre brasileira ou seus subprodutos sem autorização e origem legal. “Estamos assegurando o cumprimento desta Lei”, disse o fiscal do IPAAM na Operação Parintins 2014, Rodrigo Tacioli Serafini.

Segundo o órgão, as embarcações que infringirem as regras terão o responsável ou a empresa responsável autuados e os animais apreendidos. Os animais vivos, que estiverem em condições de soltura, serão devolvidos à natureza. Aqueles que estiverem com a saúde comprometida, serão levados para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) do Ibama ou da Prefeitura de Manaus. Os animais mortos, como peixes e quelônios, que ainda possam ser consumidos, são doados a instituições filantrópicas.

O IPAAM aceita denúncias pelos fones (92) 2123-6774 (gerencia de fauna) e 2123-6715 (gerencia de fiscalização).

*Com informações da assessoria