Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Ibama-AM apreende homem que levaria 161 peixes ornamentais dentro de mala até a Colômbia

Equipamento de raio-x no aeroporto internacional de Manaus denunciou presença dos animais em sacos plásticos com água dentro da mala. Homem veio do Pará e fazia voo de escala em Manaus para chegar à fronteira

Ibama-AM apreende homem que levaria 161 peixes ornamentais dentro de mala até a Colômbia

Segundo Ibama, peixes seriam distribuídos em escala mundial (Bruno Kelly)

Um homem identificado como Leandro Rocha foi detido na tarde desta quarta-feira (23) dentro do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, na Zona Oeste de Manaus, por transportar ilegalmente animais silvestres. O homem veio do Pará e pretendia levar até a Colômbia cerca de 161 peixes da espécie cascudo-zebra (hypancistrus zebra), dentro de uma mala.

O crime foi descoberto no momento em que a aeronave, vinda do Pará, fazia escala no aeroporto de Manaus. Ao passar a mala pelo equipamento de raio-x, os agentes federais constataram a presença das espécies dentro do compartimento. Segundo o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), os animais foram encontrados em sacos plásticos com água.

“Tem sido comum esse tipo de técnica nos últimos anos. Os peixes foram capturados no município de Altamira (PA), trazidos para Manaus e em seguida seriam levados para Tabatinga. De lá seria feita a travessia para Letícia, na Colômbia. Aqui no Amazonas, os pescadores vendem esses animais a preços pequenos, mas no exterior eles são itens de ornamentação valiosos”, afirmou o agente do Ibama, Abimael Pereira.


Segundo ele, os peixes são naturais do rio Xingu e foram “encomendados” por revendedores estrangeiros, os quais são responsáveis pela distribuição dos animais em escala mundial. Leandro confessou que exerce a atividade de “mula”, no transporte de mercadoria ilegal, mas não revelou o valor pago a ele para prestar o serviço.

Os animais foram resgatados e levados para um viveiro no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), na Zona Sul da cidade. O homem foi levado até a sede da Polícia Federal e assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). Ele poderá ser autuado por crime ambiental (artigo 35, decreto 6.514/2008) e pagar multa de R$ 700 a R$ 100 mil. 

*Com informações do repórter Florêncio Mesquita