Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Projeto de recuperação do Parque Tarumã não saiu do papel

Promessa para inauguração em junho da área que abriga a Cachoeira Alta ainda está na fase de diagnóstico fundiário

Água Branca, um dos últimos de água limpa dentro da área urbana, é motivo de preocupação por parte dos moradores

Água Branca, um dos últimos de água limpa dentro da área urbana, é motivo de preocupação por parte dos moradores (Evandro Seixas)

O projeto de recuperação do Parque Cachoeira Alta, anunciado pela Prefeitura em maio de 2013 e previsto para ser aberto ao público em junho deste ano, ainda nem saiu do papel e vem deixando as pessoas que moram próximo ao local preocupadas com o crescente desmatamento e o assoriamento de alguns leitos do igarapé.

Segundo a presidente da Associação dos Moradores da Rua Caravelle, Juliana Belota, dois empreendimentos estão sendo construídos próximos à cachoeira com a licença da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), no entanto, a retirada de barro está soterrando a nascente do igarapé Água Branca. Além disso, de acordo com Juliana, a nascente do igarapé que era no Aeroporto Internacional de Manaus Eduardo Gomes perdeu uma enorme área durante a obra de reforma do local e isso fez com que uma parte da Área de Preservação Ambiental (APA) fosse soterrada na parte interna do aeroporto.

O fato foi denunciado pelos moradores do Tarumã à comissão de meio ambiente da Assembléia Legislativa, mas até o momento, nada foi feito.

A presidente da associação conta que os moradores temem pelo futuro da APA com a ocupação e o desmatamento desordenado. “Nós sabemos que é permetido a ocupação nessas áreas, porém, isso deve ser feito de forma consciente”, disse Juliana Belota.

A presidente citou o exemplo de um condóminio que vai abrigar mais de 70 casas e que por se tratar de uma área de preservação deveria ter um controle e fiscalização maior quanto à ocupação.

Para o jornalista, Jó Farah, que também mora na rua Caravelle, apesar de toda a agressão que área vem sofrendo, as águas do igarapé Água Branca continuam despoluídas e ajudam a limpar toda a bacia do Tarumã Mirim.

Propostas

Durante as discussões do plano diretor a associação apresentou cinco propostas para a manutenção da APA, entre elas, a criação mais rápida do parque Cachoeira Alta que consequentemente possa realizar atividades permanentes de educação ambiental.

Além disso, foi proposto uma fiscalização maior e controle da ocupação.

Segundo Juliana Belota, todas as propostas foram apresentadas e aguardam um retorno da Câmara Municipal de Manaus (CMM).

Redes sociais ajudam a denunciar

Para alertar e mostrar as belezas da área de preservação do Tarumã, onde será instituído o parque Cachoeira Alta, o grupo de 27 moradores que moram na rua Caravelle criaram perfis nas redes sociais.

No facebook, o perfil “Água Branca Online em defesa do último igarapé limpo de Manaus” tem 1,3 mil seguidores que todos os dias mostram o crescente desmatamento do local.

Os moradores também realizam o monitoramento desde outubro do ano passado do igarapé e divulgam no blog aguabrancaonline.blogspot.com.br.

Nos comentários os seguidores mostram apoio à causa e lembram da época em que era possível levar a família para mergulhar nas águas da cachoeira. Segundo Juliana Belota, essa iniciativa é muito importante para mostrar à população o que está acontecendo.

Para Juliana, a criação do parque será a realização de um sonho antigo de toda a comunidade e vai possibilitar que as crianças tenham um contato maior com a natureza, o que hoje não está acontecendo no Tarumã. “Se as crianças não tem uma vivência com a natureza, não podemos exigir que elas saibam preservar”, disse Juliana.

Fiscalização

A Semmas informou que enviará uma equipe para verificar a situação denunciada pelos moradores nas obras de dois emprendimentos que estariam soterrando nascentes do igarapé Água Branca.

Captação

A criação, pelo menos por enquanto, vai continuar somente no papel. Segundo a Semmas, o projeto do Parque Cachoeira Alta do Tarumã encontra-se em tramitação para a obtenção da área e posterior doação por parte do Governo ao Município. De acordo com a secretaria, todo o trabalho de diagnóstico fundiário já foi iniciado, inclusive o socioambiental, ainda em 2013, e a previsão é de que ainda este ano seja possível a captação de recursos.

Blog - Jó Farah

 “Antes de qualquer parque nós queremos uma ação séria e permanente de proteção da fauna e flora das florestas do Tarumã, pois estamos perdendo milhares de animais que são extremamente importantes para o equilibrio ambiental na APA - Tarumã. Se a criação do parque Cachoeira Alta não for feita de forma integrada com a comunidade que vive no entorno, será apenas uma área verde enfeitada. As águas do igarapé Água Branca, se não forem mantidas purificadas, a situação pode piorar ainda mais, por isso, nós temos lutado e buscado alternativas para alertar a população sobre o que vem acontecendo, pois as pessoas moram longe e acabam sem saber sobre essas situações. Não é por que as pessoas moram em outras áreas da cidade que não devem se preocupar”.