Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Saiba mais sobre a importância e as utilidades das trepadeiras

Plantas que vivem hospedadas em outras, como orquídeas, têm papel importante na biodiversidade e ainda embelezam ambientes

No Parque do Mindu, é possível ver a diversidade de epífitas, que se alojam nas outras plantas para nutrir e serem nutridas

No Parque do Mindu, é possível ver a diversidade de epífitas, que se alojam nas outras plantas para nutrir e serem nutridas (Antônio Lima)

Desde que iniciaram a ocupação da Terra, há cerca de 500 milhões de anos, as plantas tornaram-se fundamentais para a existência da vida, pois  são produtoras de matéria orgânica que nutre a maioria dos seres vivos no planeta. Elas conquistaram quase todos os ambientes, como o solo a água e algumas, como as epífitas, popularmente conhecidas como trepadeiras, vivem hospedadas em outras espécies, exemplo das orquídeas e a bromélias, que fixam raízes em outras plantas para desabrochar beleza e alegria nos ambientes.

“Existem dois ou três tipos, que são bem cobiçadas como grupo de orquídeas, que são aquelas cujas raízes não tocam no chão, ou seja, literalmente moram na árvore, pois as próprias raízes estão enfiadas nos troncos das árvores, parasitando a planta sem aquela conotação ruim”, afirma o biólogo Charles Zartman, PhD pela Louisiana State University e o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa).

Com experiência na área de Botânica, com ênfase em Criptogamas (plantas que não produzem sementes), mas estudando as Briófitas (plantas sem raízes), Zartman diz que as Epífitas estabelecem relações com as árvores hospedeiras, numa espécie de simbiose. Caso da orquídea, que por meio da raiz fornece substratos para outros microorganismos como bactérias e algas, que fixam nitrogênio e outros nutrientes usados tanto para a orquídea quanto pela a própria árvore hospedeira.

 “É uma troca, a árvore dá e recebe”, afirma ele, lembrando, no entanto, de casos em que as que se hospedam dão o chamado abraço da morte, como uma cobra venenosa, que estrangulam a hospedeira quando envolvem todo o tronco. Um exemplo é a das famílias moráceas, que sobe a árvore e depois de alguns anos a estrangula e ainda assim aproveita o resto da madeira para ter mais acesso à copa.

Transporte

A diversidade e a importância ecológica das trepadeiras são mais reconhecidas, por conta do esforço de pesquisadores em todo o mundo. Um destaque é para as várias estratégias delas não só no papel de alimentar, transportando nutriente para a espécie na qual se hospedam, mas na contribuição de abrigar várias outras como microorganismos e invertebrados. 

Segundo explica o biólogo, elas contribuem em 30% da biodiversidade vegetal das florestas tropicais. Além das orquídeas, samambaias, outro grupo que é o das briófitas, cresce nos troncos, galhos e nas folhas. “Tem comunidades de briófitas que crescem nas folhas, e tem o das aráceas, que forma outro componente, metade epífita e metade liana”, disse ele, citando ainda espécies que começam na árvore desde raízes, usufruindo dos nutrientes do chão e da árvore, enquanto outros começam do chão, sobem e se fixam na árvore. Penduradas ou grudadas no caule, trepadeiras como as orquídeas levam os olhos das pessoas ao alto para admirá-las pela beleza, cores únicas e elegantes nas florestas.