Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Fenômeno 'repiquete' no rio Madeira deve causar impacto na cheia do Amazonas

Cota, medida pela Serviço Geológico do Brasil de Porto Velho (CPRM), chegou a baixar para 19,50 metros no último sábado, mas agora voltou ao patamar de 19,54m

Ruas comerciais em bairros de Porto Velho sofrem com a invasão da água

A cheia do rio deixou diversos bairros de Porto Velho, em Rondônia, alagados e a tendência é que essa água toda chegue ao Amazonas até o início de maio (André Alves)

O fenômeno conhecido como “repiquete” começou a acontecer desde sábado no rio Madeira e deve causar impacto na enchente do rio no território amazonense. Segundo o engenheiro hidrólogo do Serviço Geológico do Brasil de Porto Velho (CPRM) Francisco Barbosa, até sexta-feira a cota do rio era de 19,56 metros, porém no sábado baixou seis centimentros. Ainda segundo Francisco Barbosa o rio voltou a subir e chegou a 19,54 metros.

De acordo com Franscico Barbosa o fenômeno pode influenciar a enchente no Amazonas, porém só é possível estimar o tamanho do impacto daqui a 30 dias. “É possível que tenha alguma influência mesmo que pequena, mas como faz poucos dias que o rio Madeira começou a baixar ainda é cedo para prever algo”, disse o engenheiro.

Para encarregado do Serviço Hidrográfico do Porto de Manaus, Valderino Pereira da Silva, até agora a cheia do rio Negro está dentro do esperado para o período.

Negro

Segundo Valderino Pereira até ontem a cota do rio Negro era de 27,14 metros, porém em comparação com o ano passado o nível está 17 centimetros abaixo de 2013 no mesmo período. “O rio Madeira pode influenciar, mas não acredito que seja muito”, acrescentou Valderino.

Na semana passada, o Serviço Geológico do Brasil (CPRM) divulgou o primeiro alerta de cheia para Manaus. A previsão, segundo o órgão, é que o nível do rio Negro este ano atinja a cota máxima de 29,49 metros.

A previsão indica que a cota máxima do rio Negro em 2014 deve ficar 48 centímetros abaixo da registrada na cheia recorde de 2012, quando o nível das águas atingiu 29,97 metros.

Durante a divulgação do primeiro alerta, o superintendente regional do CPRM, Marco Antônio Oliveira, destacou que a influência da cheia do Madeira no Negro será pequena. “A influência para o Solimões é pequena neste momento. O baixo Amazonas está sendo influenciado pelas águas do Madeira agora. Quando ocorrer o pico da cheia para o rio Negro e para o Amazonas, que deve ocorrer no mês de junho, as águas do Madeira já terão baixado, portanto, a influência vai ser mínima”, explica. Segundo o CPRM, 75% das cheias do rio Negro finalizaram em junho e desde o dia 20 de março, o rio tem subido entre seis e nove centímetros.

Defesa Civil

Os moradores dos 12 bairros de Manaus, mapeados pela Defesa Civil e que poderão ser atingidos pela enchente, já começaram a se preparar para enfrentar o pico do fenêmeno.

Segundo o pescador Carlos Alberto Silva de Souza. 32, que mora no beco do Pescador, no bairro Mauazinho, Zona Leste, há 15 anos, a casa onde ele mora todos os anos alaga por isso já está prevendo que precisará construir uma maromba.

Para Carlos Alberto o local é um bom lugar para morar, mas quando o rio começa a encher o acesso fica muito difícil e o perigo de ser atacado por cobra e rato é grande. Ele, contudo, descarta a possibilidade de trocar de endereço, pois está adaptado à situação.