Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

  • EM DESTAQUE

0 comentarios | 02 de Setembro de 2014

O Principio da negação

Negar algo é o primeiro comportamento do ser humano. Quem não consegue aceitar uma nova visão, ou os defeitos, nunca mudará.

A mudança comportamental talvez seja um dos mais difíceis processos que um ser humano consiga realizar, pois, para que isso aconteça é necessário enxergar um novo mundo, ou aceitar fatos e argumentos que normalmente a nossa mente costuma rejeitar. Qualquer resultado é alcançado, quando executamos ações ou tarefas que caminhe em direção ao objetivo. Mas, isso somente acontece se acreditamos no que vemos. É o conceito do ver (paradigma), fazer (comportamento) e obter (resultados). Enfim, tudo seria muito fácil, se não houvesse o principio da negação, que costuma bloquear as nossas atitudes rumo à mudança, ou seja, à novos tempos.

Muitas empresas já quebraram por viver um ambiente em que todos negavam os maus momentos, e não queriam perceber que estavam indo para o abismo. Algumas pessoas teimam em acreditar que não é mais necessário aprender, e começam a negar a possibilidade de buscar novos conhecimentos. Assim como o problema de saúde que existe, e é negado até o ultimo instante, acaba por resultar em consequências mais nocivas ao organismo. O ser humano tem a tendência a negar aquilo que lhe incomoda, e viver um mundo da fantasia. Negar a realidade é o primeiro passo para a morte; no real sentindo da palavra. Seja com pessoas ou corporações.

Indo para o campo profissional, o feed back é uma excelente ferramenta – desde que bem feita - para que haja um crescimento, e ao mesmo tempo mudanças comportamentais no seu dia a dia. O pré requisito principal para qualquer conversa “olho no olho” é ouvir sem interromper, e depois analisar sobre os pontos que precisam sem melhorados. Quando adotamos o princípio da negação, normalmente interrompemos os argumentos, ou rebatemos o que a outra pessoa está nos dizendo. E essa pessoa continua a ser o que sempre foi, achando que essa é a melhor forma de agir.

Philip Kotler

Assim como as pessoas precisam aceitar para mudar, nas empresas não é diferente. Alguns exemplos foram citados pela referência máxima do marketing mundial – Philip Kotler – em um seminário apresentado essa semana aqui em Manaus. Alguns segmentos como o de CD’s, DVD’s, telefonia fixa, a entrega de cartas, o cheque e as páginas amarelas sumiram ou estão desaparecendo, e junto estão indo as organizações que vendiam esse produto ou serviço. Todas elas, demoraram para perceber, ou negaram até o fim, de que o seu produto estava indo para o buraco. Em seus lugares entraram a música digital, o filme por streaming na internet, os celulares, os emails, os cartões de crédito e o Google. Kotler aproveitou para falar também a diferença entre evolução e inovação. O primeiro é o aprimoramento ou a melhoria de um determinado produto ou serviço. Campo esse que os japoneses dominam muito bem. E inovação é criar algo totalmente novo, ou seja, um produto que não existia, que geram novos consumidores, e que matam provavelmente o produto que indiretamente concorria com ele. A Gillette é uma das marcas que mais investem em desenvolvimento do seu produto, mas, se alguma empresa que venha de uma outra área, criar um produto que impeça que a barba cresça, será um caso típico de inovação. Continuar a negar que não existe concorrente para a lâmina sinônimo de barba, é um risco perigoso. Portanto, inovar não é mais uma opção. É a única. E para incomodar mais, o guru do marketing deixou um ultimo lembrete: “Se daqui a cinco anos, você estiver no mesmo ramo em que está hoje, seu negócio não existirá mais”. Tente negar essa previsão, e veja o que acontecerá.

sobre este blog

Blog do Oshiro

Aqui você fica sabendo sobre as tendências e as inovações do Desenvolvimento de Pessoas, a cultura do Atendimento com Encantamento, comportamento humano e os meus artigos publicados aos domingos no Caderno Dinheiro do Jornal A Critica.

calendario de entradas

<Anterior Próximo>
outubro 2014
S T Q Q S S D
1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31