Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

  • EM DESTAQUE

0 comentarios | 29 de Maio de 2014

A rosa e os espinhos

Não existe sucesso e realização sem sangue, suor e lágrimas. É comum vermos somente as rosas, os espinhos só sente os que passaram pelos momentos dificeis para se chegar la.

É natural do ser humano alimentar uma competição nociva entre si, para ver quem consegue “brilhar” mais do que o outro. Infelizmente essa comparação é feita com relação à fama e ao dinheiro. Esse pecado tem nome: inveja. Ao invés das pessoas tomarem como guia a sua força interior e o que precisa fazer para alcançar o sucesso, elas são acometidas de um sentimento frustrante quando observa que outros semelhantes estão chegando lá, ou se destacando no que fazem. Se você utiliza a comparação como algo para agir, é positivo. Mas, quando ela vem com intuito de destruir ou bloquear o crescimento do próximo, ela se torna extremamente negativa, e cria seres humanos sem caráter e sem escrúpulos. É por isso que o marketing da indústria automobilística, usa muitas vezes o carro novo do vizinho para propagandear o seu novo modelo em suas campanhas. Aliás, esse produto talvez seja, o objeto de maior status hoje, pois trata-se um outdoor ambulante para você dizer que atingiu o sucesso. Mesmo que muitas vezes, parceladas em infinitas prestações. Todos nós sem percebermos, às vezes possuímos esse mal dentro dos pensamentos ou dos nossos comentários. Um dos mais visíveis é quando de repente do nada, algum cantor “estoura” nas paradas de sucesso, e se torna alvo da mídia. Você acorda ouvindo a música, almoça e janta assistindo, ou lendo algo sobre ele. O problema é que analisamos essa ascensão tão somente pelo fato se gostamos ou não do ritmo, ou se estamos incomodados pelos holofotes repentinos dos meios de comunicação. E dessa forma vem as criticas. Como essa pessoa não é do nosso convívio, fica mais fácil falar mal, ou destilar o veneno sobre o seu trabalho e sucesso. Como exemplos, podemos citar as Anittas, Valescas e lepo lepos da vida. E os mal intencionados e incomodados, começam a fazer comparações de fotos do antes e depois. Se pudéssemos junto às realizações das pessoas, termos um filtro de como elas chegaram lá, provavelmente a percepção seria outra.

 Legado

São raros os casos nas quais as pessoas pegaram carona no sucesso dos pais. Normalmente, as histórias de realizações saem do zero, com muito sangue, suor e lágrimas. Quando os filhos que possuem um pouco mais de sorte, por vir de uma família abastada, conseguem aumentar ou até ter mais sucesso que o antecessor, foi detectada que um legado ou uma cultura muito forte  fora deixada pelo fundador. Dessa forma, o dia a dia é movido por essa força invisível, e os resultados ficam somente como consequência. O legado costuma unir famílias e perpetuar o que foi construído. Mas, o desafio é que os herdeiros continuem a deixar a sua marca própria, pois senão o elo se quebra nas próximas gerações.

A explosão rápida na mídia de alguém, nos dá a sensação que o vencedor nasceu do nada, e do dia para noite. Essa tese não existe e não se sustenta. O maior exemplo são os “big brothers” da vida, que buscam a tão sonhada fama repentina. Em época de Copa do Mundo, um canal de TV conta uma história diariamente de um jogador da nossa seleção. Ao vermos o passado de cada um deles, entendemos que todos chegaram lá na base de muita perseverança, disciplina e foco. Alguns apoiados pelos pais, e outros não. E nos emocionamos com as histórias. Quando vemos as pessoas com um buquê de rosas nas mãos como prêmio, não enxergamos quanto sangue jorrou com os dedos espetados pelos espinhos. A vida é gratificante, mas ao mesmo tempo cruel.

sobre este blog

Blog do Oshiro

Aqui você fica sabendo sobre as tendências e as inovações do Desenvolvimento de Pessoas, a cultura do Atendimento com Encantamento, comportamento humano e os meus artigos publicados aos domingos no Caderno Dinheiro do Jornal A Critica.

calendario de entradas

<Anterior Próximo>
outubro 2014
S T Q Q S S D
1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31