Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

  • EM DESTAQUE

0 comentarios | 08 de Maio de 2014

Minha Querida Mãe.


Neste mês voltado àquelas que se dedicam e se desdobram na criação e educação dos filhos, além de se mostrar a verdadeira dona do lar, tendo ainda que cuidar do esposo e dos demais integrantes da família e, muitas vezes, ainda, desempenhar uma tarefa fora de casa, tomarei a liberdade de compartilhar com meus parcos leitores reminiscências em relação à minha inesquecível mãezinha.

Já se vão longos 21 anos de sua partida, porém, recordo com viva lembrança de minha infância na longínqua e bela Tonantins (distante, aproximadamente, 880km. de Manaus), situada no Alto Solimões, na qual recebi todo o carinho e afeto de minha genitora Rosa. Esta que ficou conhecida por sua generosidade, compaixão e fé inabalável em Deus.

Não posso deixar de relembrar e tentar contar um episódio envolvendo-a, a fim de que possa mostrar parte de sua personalidade. Houve, há muitos anos atrás, uma falta generalizada de açúcar na pequena Tonantins, meu pai era um dos comerciantes mais sedimentados daquelas plagas, daí, sabedor da falta do produto, reservou uma pequena quantidade do mesmo, para abastecer nossa residência. O Pároco local, Frei Francisco Arce, necessitou, como muitos, do produto e, enviou um emissário até o comércio de meu genitor a fim de que lhe vendesse um quilo ou mais de açúcar, porém, como podia se prever, meu pai Otávio informou ao emissário que não tinha como atender àquela demanda. Minha mãe que estava presente, fez sinal discretamente para o portador do pároco, a fim de que o mesmo fosse até nossa residência e lá, do pouco que havia na despensa do produto enviou uma parte para o mesmo. Segundo palavras do emissário, ao retornar junto à casa paroquial foi questionado pelo Padre se o Sr. Otávio havia atendido ao seu pedido, no que foi informado que não por não ter o produto para venda. Surpreso com a vista da porção de açúcar nas mãos do emissário, o Pároco questionou-o como havia conseguido e, este narrou o ocorrido, tendo o missionário exclamado: “Tal gesto só poderia advir da Santa Rosinha”.

Assim era o comportamento dessa minha heroína, que tantas saudades deixou a todos nós, pelo seu exemplo de mulher dedicada aos seus afazeres, prendada nas atividades do lar (quanta saudade dos pratos que preparava: da macarronada, da carne de porco assada, das fatias de surubim frito, do pirarucu cozido e porque não das tartarugadas permitidas à época, etc.), ainda sobrava tempo para dedicação ao meu amado pai e aos meus outros 12 irmãos. Ela sempre tinha uma palavra de carinho e de apoio para cada um de nós, nos amava uniformemente, ninguém jamais se queixou de sentimentos desproporcionais.

Na linha da lembrança de sua fibra, foi impressionante, ainda, a forma tenaz com que encarou a perda de 03 outros irmãos meus com ela em vida, especialmente, meu irmão Otacílio, que veio a falecer com 23 anos, no auge de sua juventude, de tuberculose, quando esta doença, à época, era quase fatal. Todos que acompanharam aquele fato se admiraram, pois ela o viu falecer em seus braços, ouvindo dele a descrição da perda de seus sentidos e nada podendo fazer. Imaginemos a dor e a fortaleza desta mulher ao enfrentar tal fato, mostrando, claramente, que não são elas o sexo frágil.

Portanto, em meu nome e de meus irmãos e irmãs, quero deixar este tributo à nossa genitora, que se mostrou sempre digna, amável, afável, firme, corajosa, dedicada, atenciosa e acima de tudo, mãe com “m” maiúsculo, que deixou em todos nós um vazio impreenchível mesmo depois de tanto tempo e que jamais será esquecida em nossos pensamentos. Seu legado, “D. Rosa”, servirá de lição para muitos que a conheceram e mesmo aqueles que não tiveram esta feliz oportunidade, souberam, através destas poucas linhas, como era o seu viver. Saudades Mãe. (Dico, Aluizio, Bernardo, Graça, Luciano, Regina, Ovídio, Bosco e Otávio.).

Um grande abraço a todos.

Otávio Gomes

sobre este blog

Blog do Otávio Gomes

Este blog tratará de assuntos do cotidiano das pessoas no que diz respeito aos assuntos mais palpitantes do momento, procurando destacar temas ligados ao sistema jurídico brasileiro, com enfoque para o direito do consumidor, tema que ganhou nova dimensão a partir da vigência do Código de Defesa do Consumidor. Todavia, é do interesse de quem assina o blog que haja indicação de temas por parte dos leitores, posto que se este espaço se propõe democrático

calendario de entradas

<Anterior Próximo>
novembro 2014
S T Q Q S S D
1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30