Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Roger, do Ultraje a Rigor, bate boca com escritor e justifica perseguição política durante a ditadura: ‘Não estava fazendo m...’

O vocalista do Ultraje a Rigor respondeu de forma grosseira às críticas do escritor Marcelo Rubens Paiva, que disse que Roger faz ‘confusão’ ao chamar a presidente Dilma de ‘terrorista’

Roger (à dir.) causou polêmica em rede social com o escritor Marcelo Rubens Paiva, que teve o pai assassinado pela ditadura

Roger (à dir.) causou polêmica em rede social com o escritor Marcelo Rubens Paiva, que teve o pai assassinado pela ditadura (Reprodução/Internet)

Roger Moreira, líder do Ultraje a Rigor, deu um depoimento polêmico durante bate-boca com o escritor Marcelo Rubens Paiva, no Twitter. Nesta terça-feira, o músico afirmou que sua família não foi perseguida pela ditadura porque “não estava fazendo m...”. A informação é do jornal “Extra”.

O pai do jornalista, o então deputado Rubens Paiva, foi torturado e morto em 1971 por militares e teve o seu corpo atirado do mar. O assassinato só foi confirmado 40 anos depois.

No último dia 2, Marcelo Rubens Paiva esteve na Flip (Feira Literária de Paraty) e se emocionou ao relembrar do episódio numa mesa redonda do evento. A discussão entre ele e Roger Moreira começou quando o músico soube que o jornalista o citou para exemplificar que o brasileiro desconhece a história do país.

“Ele (Roger) vai até ficar bravo. É meu amigo, escreveu músicas ícones da minha geração e de combate à ditadura, hinos do movimento das Diretas Já. Hoje, tem reações completamente opostas, e acusa a Dilma (Rousseff) de terrorista. Se até pessoas que participaram têm essa confusão, imagina os garotos que moram na periferia de grandes cidades, que não têm acesso (à informação)”, afirmou.

 
Reprodução da frase polêmica (Reprodução)

No Twitter, Roger se revoltou com a citação e bombardeou o colega. Ao fim, disse a frase controversa: “Tem mais seu b... Minha família não foi perseguida pela ditadura. Porque não estava fazendo m...”, escreveu, em resposta ao jornalista.

Nas redes sociais, seguidores se revoltaram contra Roger, que não deixou por menos: “Vão tomar no c.., ninguém falou com vocês. Minha conversa é com ele. Porque eu não sou covarde, falo direto”, resumiu.