Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Sabrina Boing Boing afirma que foi agredida em Boa Vista

Modelo e DJ foi tocar em uma festa de Réveillon da capital de Roraima e afirma que se desentendeu com os organizadores da festa por conta do cachê oferecido

DJ posa com seguranças que a ajudaram

DJ posa com seguranças que a ajudaram (Reprodução/ Internet)

A modelo e DJ Sabrina Almeida, conhecida como Sabrina Boing Boing escreveu na sua página do Facebook que foi agredida pelos organizadores da festa de réveillon White River Celebration 2014, em Boa Vista (Roraima) depois de terem se negado a pagar o restante do cachê cobrado por ela.

Segundo Sabrina, os donos da festa queriam pagar apenas a metade do que ela havia combinado cobrar para tocar durante a sua apresentação e por isso foi agredida. Ela postou as fotos das marcas da violência em seu braço.


"O que esperar de um ano que começa dentro de uma delegacia? Pois é...Mas está para nascer o cabra que vai encostar a mão em mim e vai sair impune", escreveu ela no Facebook. 

O Boletim de Ocorrência foi registrado na quarta-feira (1), no 5º Distrito Policial, onde os envolvidos prestaram depoimento e, em seguida, foram liberados. 

"Quando não aceitei receber menos que o combinado e disse que eles deveriam resolver qualquer pendência com minha agência de DJs, a Unique DJs, e que eu iria até a delegacia dar queixa da quebra de contrato, eles me prenderam no camarim. Quando saí e disse que falaria ao público presente que os organizadores agiam de má fé comigo, o agressor me segurou pelo braço e, por trás dos seguranças, desferiu um tapa que acertou meu rosto", explicou Sabrina.

Segundo a DJ, houve um grande tumulto, presenciado pela equipe de seguranças. Apenas dois tiveram coragem de ir enfrentar essa situação. Eu até entendo os outros, tratam-se de pessoas humildes de baixa renda que dependem de certa forma dessas pessoas que fazem eventos. Não os culpo, mas agradeço muito a coragem desses dois seguranças que foram representar as pessoas de bem dessa cidade. Nao generalizo nenhum estado ou cidade por fatos isolados. Em todo o mundo e em todas as classes sociais existem pilantras e covardes", resumiu ela.