Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Qual o futuro da sequência de ‘Velozes e Furiosos’ após morte de Paul Walker?

Morte de atores altera agenda de filmes, a morte inesperada de Paul Walker não é o primeiro caso dentre as fatalidades que acabaram alterando a agenda de produções hollywoodianas

Paul Walker

Paul Walker (Divulgação)

Uma notícia deixou atônitos os fãs da sequência de filmes “Velozes e Furiosos”, no último sábado: um dos protagonistas da franquia, Paul Walker, de 40 anos, havia morrido em um acidente de carro na cidade de Santa Clarita, no sul da Califórnia, Estados Unidos.

Como a morte do ator aconteceu durante um intervalo nas gravações do sétimo longa da saga, antes previsto para ser lançado em julho de 2014, uma dúvida rapidamente se alastrou - qual seria o destino de uma das sequências mais lucrativas do cinema.

Segundo divulgou a revista The Hollywood Reporter, as filmagens devem prosseguir após uma breve suspensão. Ainda no domingo, o diretor James Wan teria se reunido com o estúdio Universal Pictures para decidir que o filme será adiado e o roteiro reescrito para justificar a ausência de Walker. No entanto, segundo o site The Wrap, o retorno de “Velozes e Furiosos” deve ser adiado por tempo indeterminado.

Incidentes

A morte inesperada de Paul Walker não é o primeiro caso dentre as fatalidades que acabaram alterando a agenda de produções hollywoodianas. Em 1994, durante a gravação de “O Corvo”, o ator Brandon Lee foi atingido em pleno set por um tiro que deveria ser de festim, uma história ainda envolta em mistérios. À época, restavam apenas três dias de filmagens, e o processo só foi finalizado depois de um acordo com a família do ator e com a ajuda de um dublê e cenas já rodadas.

Exemplo mais recente é o do ator Heath Ledger, ganhador de um Oscar póstumo por sua atuação como Coringa em “Batman – O Cavaleiro das Trevas”, de 2008. Vítima de uma intoxicação acidental de remédios, o artista já havia encerrado sua participação no filme do homem-morcego, mas ainda estava gravando cenas de “O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus”, lançado dois anos depois.

Pego de surpresa, o diretor do longa, Terry Gilliam, chegou a declarar que cancelar o filme tinha sido a primeira coisa que havia passado pela cabeça dele. “Felizmente, estava rodeado de pessoas que insistiram para eu acabar o filme”, disse. Após uma suspensão temporária, a solução para não abortar o projeto foi escalar Johnny Depp, Jude Law e Colin Farrell para interpretar o papel de Ledger em três fases diferentes. Antes, havia-se cogitado o uso de efeitos especiais.

Tecnologia

 O diretor Ridley Scott também teve que lidar com a morte de um ator de destaque na trama de “Gladiador”, vencedor do Oscar de Melhor Filme, em 2001. O veterano Oliver Reed, que assumiu o papel de Proximus, faleceu devido a um ataque cardíaco pouco tempo antes da conclusão das filmagens.

Apesar disso, Scott recebeu autorização da família do ator para usar as imagens disponíveis e manter a história do personagem de Reed, que acabou morrendo na tentativa de salvar Maximus, ao invés de chegar vivo até o fim da história. As cenas póstumas contaram com o auxílio de outro ator, cujo rosto foi digitalmente substituído pelo do veterano Reed.