Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Colunista afirma que a Globo foi a maior vilã do brasileiro durante a Copa do Mundo de 2014

Para o colunista e correspondente de um site de notícias na Bahia, Breno Cunha, vários privilégios e exclusividades concedidos pela CBF à emissora pode ter atrapalhado os treinos e a equipe da Seleção Brasileira

O programa “Esquenta” foi um dos programas da Globo que teve um dia especial com os craques brasileiros

O programa “Esquenta” foi um dos programas da Globo que teve um dia especial com os craques brasileiros (Divulgação)

Quem acompanhou a transmissão da Copa do Mundo da Fifa de 2014 pela Rede Globo, certamente deparou-se com entrevistas e programas exclusivos dedicados a Seleção Brasileira. Muitos programas da casa foram privilegiados com a presença dos jogadores e da comissão técnica do Brasil durante o torneio de futebol mais importante e ‘sério’ do Mundo.

Para o colunista e correspondente de um site de notícias na Bahia, Breno Cunha, se existem culpados no vexame do Brasil no torneio Mundial, a Globo certamente é um deles. Segundo ele, os privilégios cedidos pela CBF à emissora carioca pode ter atrapalhado gravemente os treinos da equipe brasileira.

Breno destaca que logo no começo da preparação da Seleção, o apresentador Luciano Huck invadiu o treino do Brasil com um garoto que sonhava conhecer os jogadores. O restante da imprensa, quase mil credenciados, ficou em um ambiente reservado aos jornalistas olhando o apresentador global dentro do campo. Além do mais, nas demais Seleções favoritas à Copa, isso não aconteceu. Pelo contrário, todas elas fecharam os treinos à imprensa.

O programa “Esquenta” também teve um dia especial com os craques brasileiros. O cantor Mumuzinho invadiu o vestiário dos jogadores e conversou com exclusividade com vários atletas como Neymar, David Luiz, Daniel Alves e outros. Além disso, enquanto as demais Seleções se concentravam na Copa, o repórter da atração de Regina Casé fazia pagode com os jogadores.

Ainda segundo o colunista, enquanto jornalistas ligados à outros veículos de comunicação aguardavam as coletivas de imprensa para terem a oportunidade de uma pergunta ao entrevistado, a Globo desfrutou de Felipão, técnico do Brasil, no “Jornal Nacional”, com absoluta exclusividade. O narrador Galvão Bueno e a jornalista Patrícia Poeta entrevistaram Luiz Felipe Scolari direto da Granja Comary.

Mesmo com toda a campanha positiva da emissora referente a vitória certeira da Seleção Brasileira, após o massacre que o Brasil sofreu pela Alemanha, de 7 x 1, a Globo lamentou e rapidamente mudou de postura. Muitos comentaristas e até mesmo Galvão Bueno destacou os defeitos de Felipão, a fragilidade do elenco e a realidade do desempenho dos jogadores.

*Com informações do site RD1