Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

“Só porque é negro e black power”, diz Taís Araújo sobre caso de ator preso injustamente

A global falou sobre o caso e disse que o mesmo é ‘apenas mais um’ numa sociedade preconceituosa que acredita que ‘o negro sempre pode oferecer algum risco’

Taís Araújo é eleita umas das 25 mais sensuais do Brasil

Taís Araújo relaciona racismo ao caso do ator negro preso injustamente (Divulgação/IstoÉ)

A atriz global Taís Araújo deu sua opinião sobre o caso do ator Vinícius Romão de Souza, de 26 anos, que ficou preso por engano por 16 dias, sob a acusação de roubo. Para a atriz, o fato é “apenas mais um” numa sociedade preconceituosa que acredita que “o negro sempre pode oferecer algum risco”.

O ator trabalhou com o marido de Taís, o ator Lázaro Ramos, na novela “Lado a lado” em 2012.

“O Vinícius é a prova do preconceito. De repente ela (a copeira Dalva Moreira da Costa) pode até ter o reconhecido da TV e fez uma acusação leviana. Ele deixou um trabalho, ficou preso por 16 dias injustamente só porque é negro e black power. É um absurdo”, diz indignada a atriz.

Autor de “Lado a lado”, João Ximenes Braga acompanhou a história pelo noticiário e também lamentou sobre o tal engano.

“Acompanhei a história pelo noticiário como qualquer cidadão. E é como cidadão que peço desculpas a ele por nossa sociedade estar falhando sistematicamente com os descendentes de africanos há centenas de anos. Foi um caso de racismo muito claro. O que não quer dizer que a copeira ou os policiais tenham ideologia racista, mas que nossa sociedade se acomodou num patamar de desigualdade no qual a possibilidade de um jovem negro ser assassinado é 3,7 vezes maior que a de um jovem branco”, desabafou.

Ainda na saída do presídio, Vinicius garantiu que perdoa a vítima de assalto que fez o seu reconhecimento equivocadamente.

*Informações do site 'portalafricas'