Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Em partida emocionante, Nacional vence Princesa por 2 a 1 de virada

O Nacional segue para o segundo jogo da final, no próximo domingo (11), com a vantagem do empate contra o atual campeão do Barezão, Princesa do Solimões

Capixaba recebe cruzamento na medida de Léo Paraíba mas se desequilibra e manda a bola para fora aos 2 minutos do primeiro tempo

Capixaba recebe cruzamento na medida de Léo Paraíba mas se desequilibra e manda a bola para fora aos 2 minutos do primeiro tempo (Winnetou Almeida)

Parecia que o Nacional não ia conseguir, mas venceu o atual campeão Princesa do Solimões de virada por 2 a 1 na tarde quente deste sábado (3), no primeiro jogo da final do returno do Campeonato Amazonense, em partida transmitida ao vivo pela TV A CRÍTICA.

O Leão entrou desfalcado de Chapinha e seu centro-avante Fabiano, mas mostrou muita raça para correr atrás do placar negativo do primeiro tempo disputado no campo do SESI, Roberto Simonsen, na Zona Leste de Manaus, que abrigou 1.739 torcedores, com 1.283 pagantes (renda de R$ 19.570).

O Princesa do Solimões, além de ser obrigado a vencer a partida de volta no próximo domingo (11), novamente no estádio Roberto Simonsen - já que o estádio Gilberto Mestrinho, em Manacapuru, segue em obras -, ainda não poderá contar com seu principal zagueiro, He-Man, que foi expulso no fim do jogo.

O Nacional irá descansar para o segundo jogo durante a semana, enquanto o Tubarão tem compromisso marcado na quinta-feira (8) na Arena da Amazônia, contra o Santos pela Copa do Brasil.

O jogo

O Leão da Vila Municipal entrou na partida com a ‘faca entre os dentes’, adiantando a marcação e criando boas jogadas de ataque. Mesmo sem contar com a habilidade de Chapinha e a altura do gigante Fabiano, o Naça procurou resolver seus problemas com a raça dos atacantes Léo Paraíba e Felipe Capixaba.

E por um momento pareceu que o time não iria sentir os desfalques. Parecia. Antes dos dez minutos de partida, o Nacional criou boas chances de abrir o placar. Aos 2 minutos, Léo Paraíba cruzou da direita para Capixaba, que dentro da área chutou de primeira e viu a bola sair.

Aos 7 minutos da primeira etapa, em bom toque de bola, novamente Capixaba ficou de frente para o gol e chutou forte, mas o goleiro Milton fez a defesa com segurança.

No seu estilo, o Princesa ia aguentando os golpes com tranqüilidade para armar os contra ataques. Foram poucas as chances de gol do Princesa ao longo do primeiro tempo. Substituindo Michell Parintins, que está acometido de uma virose, Israel teve a primeira boa chance do Tubarão com um forte chute de fora da área que assustou Wagner aos 8 minutos.

E mais uma vez o Nacional ia tentando fazer seu gol.  Aos 12 minutos, Eder perdeu grande chance ao soltar uma bomba de fora da área e obrigar Milton a se esticar todo em seu canto esquerdo para não deixar que a bola entrasse.

Um minuto depois, o Tubarão começou a fazer melhor seu jogo. Em uma rápida escapada de Nando com a bola, o atacante subiu até a pequena área do Naça mas esperou demais para chutar, sendo travado pela defesa do Leão.

Após a parada técnica obrigatória para a reidratação dos atletas, o Leão parece ter voltado mais manso para a partida. O ataque já não conseguia chegar com eficiência e os erros de passe começaram a ficar mais usuais.

E foi em um erro de ataque que originou o gol do Princesa aos 34 minutos de partida. Léo Paraíba e Capixaba trocaram passes no meio de campo e Amaral roubou a bola. O volante tocou para Fininho que subiu pela esquerda, viu Nando na área e cruzou com perfeição. O atacante do Tubarão meteu a cabeça na bola e encobriu lindamente Wagner, que ainda pulou para tentar a defesa.

Fim do primeiro tempo: Nacional 0 a 1 Princesa do Solimões.

Sinomar Naves aproveitou o intervalo para sacar Léo Paraíba e promover Leonardo no ataque do Leão. Já Edinho Canutama entrou no lugar do homem do gol, Nando, por parte do Princesa.

A etapa final iniciou com as duas equipes mostrando vontade. O Nacional querendo empatar a partida para ter mais chances no jogo de volta, e o Princesa querendo logo liquidar a conta.

Em bom ataque do Leão, Jefferson Rcife lançou boa bola na área para Capixaba, que se adiantou ao goleiro Milton e marcou o gol do empate aos 8 minutos. Nacional 1 a 1 Princesa.

Para o Leão, o gol significou um novo início de partida, e eles continuaram a pressionar o Princesa em busca do segundo tento.

E ele veio aos 19 minutos da etapa final. Após bola desviada em cruzamento de Amaral. Eder pegou a sobra subiu ao ataque chutou forte. Desta vez ele acertou no lugar certo e virou a partida para o Naça. Nacional 2 a 1 Princesa.

O gol ligou o alerta de Marcos Piter que mandou Michell Parintins, mesmo doente, iniciar o aquecimento. O craque de Manacapuru entrou no lugar de Israel. Assim como Marinelson, que entrou no lugar de Branco, dando sangue novo ao ataque do Tubarão aos 23 minutos.

Sinomar Naves resolveu retirar de campo o atacante Capixaba, que estava cansado, e colocar João Douglas em campo. Ele ainda colocaria Luan no lugar de Rodrigão até o fim da partida, queimando sua última substituição.

O jogo começou a ficar pegado. O gol da virada do Leão mudou a dinâmica da partida, pois obrigou o Princesa a correr atrás do prejuízo. Isso não significou um recuo do Naça, que continuou no ataque. He-Man acabou tomando o primeiro amarelo do jogo por reclamação além da conta com Frutuoso aos 26 minutos. O zagueirão ainda lvou o segundo, resultando em sua expulsão da partida por falta em Bruno Portiguar, aos 40 minutos.

E Frutuoso teve mais trabalho para coibir lances baixos. Para acabar com uma confusão entre Michell Parintins e Bruno Potiguar, o árbitro não hesitou em dar cartão amarelo aos dois, aos 38 minutos.

E nenhuma das equipes conseguiu ser efetiva no ataque para balançar as redes mais uma vez. Fim de jogo no Roberto Simonsen com virada emocionante do Leão da Vila Municipal.


Nacional

Vagner; Amaral, Índio, Rodrigão e Jeferson Recife; Negretti, Bruno Potiguar e Eder; Luciano, Felipe Capixaba e Léo Paraíba.

Técnico: Sinomar Naves.

Princesa

Milton; Delciney, Lídio, He-Man e Gró; Rondinelli, Amaral, e Fininho; Israel, Branco e Nando.

Técnico: Marcos Piter

Árbitro

Antônio Carlos Pequeno Frutuoso (AM).


Renda: R$ 19.570