Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Série A: uma vaga para dois times

Torcedores vascaínos e tricolores analisam quais as chances de permanência de suas equipes na elite do futebol brasileiro no ano que vem

Quem irá cair e quem irá se salvar?

Quem irá cair e quem irá se salvar? (Reprodução)

Vasco da Gama na 17ª posição, e Fluminense, na 18ª, lutam para sair da zona de rebaixamento do Brasileirão 2013 - o famigerado Z4 - e se manter na Série A do ano que vem. Os dois times têm verdadeiras batalhas fora de seus domínios na 38ª rodada da competição, no domingo (8).

Mas muito além de permanecer na divisão de elite do futebol nacional em ano de Copa do Mundo no Brasil, está em jogo aqui a honra de seus torcedores. Quis o destino que Vasco, na 17ª posição e Fluminense, na 18ª, brigassem por uma única chance de salvação. Somente um deles irá permanecer na Série A. Ou nenhum deles.

Neste momento difícil, o apoiador de cada equipe inicia um processo de avaliação profundo, onde procura saber o que deu errado com seu time para estar nessa situação. O farmacêutico Galvão Junior, torcedor doente do Vasco da Gama, tem a resposta na ponta da língua. “Foi pela péssima administração do clube que montou um elenco fraco. Foram 11 jogadores do time titular que saíram desde o ano passado. O Vasco ficou em 5º lugar do Brasileirão 2012 e este ano está brigando para não cair”.

“Eu acho que a culpa foi do Abel Braga, que não foi mandado embora depois da eliminação na Libertadores. Todo tricolor sabe que diversos jogadores bons foram oferecidos à diretoria no início do ano e ele rejeitou. O Elias é um deles, e está lá no Flamengo fazendo sucesso. O Abel deixou um monte de jogador ruim que foi indicação dele e o time está como está”, disse Fabian Maia, oficial de justiça.

“Vai ser... complicado”

Apesar das divergências em apontar culpados, vascaínos e tricolores são unânimes em afirmar que a última partida do Vasco, contra o Atlético Paranaense, na Arena Joinville, será um ‘osso duro de roer’, já que a equipe paranaense ocupa a 3ª posição com 61 pontos e quer garantir sua permanência no G4.

“O Atlético está brigando por uma vaga na Libertadores, não vão querer deixar a chance passar de novo como deixaram na final contra o Flamengo – na Copa do Brasil. Nós temos que nos preocupar em jogar o nosso jogo e deixar para secar o Coritiba e o Fluminense para depois. Eu vou torcer muito claro, mas sendo realista, vai ser... complicado”, analisa o torcedor Galvão Junior.

O Fluminense viaja até Salvador para enfrentar o Bahia, na Arena Fonte Nova. Com 48 pontos e na 12ª colocação, o time baiano não se preocupa mais com rebaixamento e deve ser um adversário com menos ímpeto, já que não luta por mais nada no campeonato. Isso tira a preocupação do torcedor tricolor? Absolutamente não.

“Acredito com toda a certeza que Atlético Paranaense e São Paulo farão sua parte [a equipe paulista enfrenta o Coritiba, na 16º colocação, que também briga para não cair]. O que me preocupa mesmo é o próprio Fluminense. O time é limitado, além disso, cansa rápido. No último jogo, contra o Galo, os jogadores mostraram um condicionamento físico muito ruim. Estavam se arrastando em campo no 2º tempo. Meu medo é que o time mostre esse mesmo ritmo e coloque tudo a perder”, disse Fabian Maia.

'‘Um guerreiro não desiste’'

O tricolor Jersey Nazareno não dá o braço a torcer para a derrota, mas aceita que o rebaixamento é uma realidade bem próxima de seu time. “Tem que torcer, não tem jeito. Se tiver que cair vou continuar torcendo de qualquer forma. Vai ser um jogo de pegada, como foi contra o Galo. O Bahia vai fazer uma partida dura contra nós. Mas um guerreiro não desiste até o apito final do árbitro. O Vasco vai cair sozinho e vou assistir a partida na sede da Young Flu com outros tricolores. A vitória virá”, disse o animado jornalista.

Conhecido ‘corneteiro’ das redes sociais, o vascaíno Cristiano Costa tem o costume de infernizar a vida de amigos nas redes sociais nos dias de jogos. Desta vez o estudante de engenharia mostra um certo ar de resignação com a situação do time e a relação com os amigos que torcem para equipes rivais. “Com isso eu sou bem tranqüilo, bagunço muito com os outros então tenho que ouvir também. Sem problemas”, afirmou.

Mas a tranqüilidade tem dia certo para acabar, Cristiano não esconde que fica apreensivo só de ser lembrado do dia do jogo. “Vai ser difícil relaxar. Quer dizer, hoje [quarta] estou relaxado, mas no domingo, com certeza não. Vou torcer muito, claro, tenho que acreditar no meu time sempre. Mas sendo bastante racional, acho que nem o Vasco e nem o Fluminense escapam”, disse Cristiano, rindo.