Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Valcke admite que Arena Pantanal, Itaquerão e Baixada ficarão prontas no último instante

Em visita ao Brasil, Jeróme Valcke, secretário executivo da Fifa, fez vistória aos únicos três estádios inacabados das 12 sedes: Arena Pantanal, em Cuiabá; Itaquerão, em São Paulo e Arena da Baixada, em Curitiba

Arena Pantanal custou 570 milhões de reais e teve início em abril de 2010 com a demolição do antigo Verdão

Arena Pantanal custou 570 milhões de reais e teve início em abril de 2010 com a demolição do antigo Verdão (Reprodução)

Em visita a mais um estádio inacabado a exatos 50 dias da Copa do Mundo, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, cobrou nesta quarta-feira (23) a conclusão da instalação de assentos da Arena Pantanal, em Cuiabá, para que o estádio possa realizar eventos-teste com a capacidade mínima exigida.

O estádio da capital matogrossense foi inaugurado no início do mês numa partida entre Mixto (MT) e Santos (SP) com capacidade limitada a 20 mil espectadores, e receberá o primeiro evento-teste oficial da Fifa no sábado, entre Luverdense e Vasco, pela Série B do Campeonato Brasileiro, também com público inferior aos 41 mil torcedores que o estádio vai abrigar durante a Copa do Mundo.

Valcke, que visitou o estádio acompanhado do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, e do membro do Comitê Organizador Local (COL) Ronaldo, viu um setor inteiro da arquibancada superior ainda sem nenhum assento instalado e deu prazo até o dia 5 de maio para que todas as 41.390 cadeiras da arena estejam colocadas.

"Nós concordamos que os assentos, porque vocês viram que ainda há um número de assentos não instalados no estádio, que todos esses assentos devem estar feitos no máximo até 5 de maio, para garantir que possam ser realizados eventos-teste com o número de assentos que precisamos e a capacidade do estádio que precisamos", disse Valcke a jornalistas após visitar a arena.

Apesar da cobrança, o dirigente demonstrou-se satisfeito com as obras no local, ao contrário das críticas feitas por ele na terça-feira aos estádios de São Paulo e Curitba, que estão com as obras ainda mais atrasadas.

Segundo Valcke, a Arena Pantanal não apresenta nenhuma grande preocupação e está funcionando bem. "Esse é um dos estádios onde estamos vindo apenas para checar que as coisas estão caminhando dentro do previsto", afirmou.

Outro evento-teste no estádio está previsto para o dia 1º de maio, a partida entre Internacional e Cuiabá, pela Copa do Brasil, de acordo com a Secretaria da Copa do Mato Grosso. O órgão, no entanto, não informou qual será a capacidade do estádio para essa partida.

Valcke relatou ter enfrentado problemas com o trânsito da cidade devido à chuva que atingiu Cuiabá na terça-feira e cobrou das autoridades a conclusão dos projetos de mobilidade urbana que vão ligar o aeroporto ao estádio e à cidade.

"Pedimos a confirmação de que todas as instalações de mobilidade urbana do aeroporto para a cidade e para o estádio, pelo menos essas, estejam prontas até a Copa do Mundo para que os torcedores que vierem para a Copa do Mundo não tenham problemas para se movimentar em Cuiabá", afirmou o dirigente, que disse ter recebido garantias dos governos locais de que as obras estarão prontas a tempo.

Cuiabá receberá quatro jogos da Copa do Mundo, todos pela primeira fase: Chile x Austrália, Rússia x Coreia do Sul, Nigéria x Bósnia e Japão x Colômbia.

A Arena Pantanal foi construída ao custo de 570 milhões de reais e teve início em abril de 2010 com a demolição do antigo Verdão. Durante as obras, o estádio sofreu um incêndio em parte do subsolo em outubro de 2013 que despertou preocupações sobre possíveis danos estruturais, conforme revelado pela Reuters em fevereiro.