Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Resende e Vasco não saem do 0 a 0; Nenhum time conseguiu vencer na Arena

O resultado não refletiu a grande festa que a torcida do Vasco da Gama fez para recepcionar o time do coração na capital amazonense. O resultado de 0 a 0 deu ao Vasco da Gama a vantagem para o jogo de volta da Copa do Brasil, no dia 16 de abril

O Vasco entrou em campo com seu time reserva

O Vasco entrou em campo com seu time reserva (Antonio Lima)

Nem os mais de 40 mil torcedores vascaínos que foram à Arena da Amazônia puderam fazer a diferença no jogo entre Resende e Vasco da Gama. A partida entre os times cariocas que foi disputada em Manaus terminou em 0 a 0 e se tornou o terceiro empate seguido da Arena desde a sua inauguração. O resultado dá a vantagem ao time da Colina no jogo de volta, que acontecerá em São Januário no dia 16 de abril.

O jogo também marcou o primeiro evento no estádio sob a supervisão exclusiva do Comitê Organizador Local (COL) com todas as exigências que deverão ser cumpridas nos quatro jogos da Copa do Mundo. A próxima partida a ser disputada na Arena da Amazônia será entre Nacional e o São Luiz do RS, também pela Copa do Brasil.

Tranquilidade

Na entrada dos torcedores do Vasco uma enorme fila se formou na Constantino Nery e na avenida Pedro Teixeira, mas nada saiu na normalidade. O mesmo ocorreu na saída das mais de 40 mil pessoas do local. Muitas famílias eram vistas e tudo correu sem alterações. Somente uma nova fila - desta vez, de ônibus -, se formou na avenida Constantino Nery sentido Centro Bairro, para pegar quem saía da Arena.


A partida

Priorizando a final do Campeonato Carioca no próximo domingo (6) o técnico Adilson Batista trouxe à Manaus a equipe reserva do Vasco para a disputa contra o Resende.

O ponto falho da organização antes da bola rolar foi a falha no sistema de som do estádio. Os jogadores estavam posicionados para ouvir o hino nacional, mas nenhuma música saiu das caixas de som da Arena. O árbitro Edmar Encarnação preferiu não esperar mais e deu início ao sorteio da posse de bola.

Apesar do começo animador e empurrado pelos milhares de torcedores em campo, os jogadores vascaínos não conseguiram concluir as jogadas. O jovem lateral Lorran, de apenas 18 anos, arrancou gracejos da torcida presente e mostrou personalidade em campo, não se intimidando com o adversário.

O Resende se limou a tentar os contra ataques e quase chegou ao gol em algumas das puçás oportunidades ofensivas que criou.

Um fato curioso: no decorrer do primeiro tempo a presença de um torcedor flamenguista no meio da torcida vascaína foi percebida. Incomodados com a presença do 'invasor', torcedores do Vasco iniciaram diversos tipo de provocações para constranger o rubro negro. A tática deu certo. O homem foi retirado da Arena escoltado por seguranças para evitar o pior.

O segundo tempo foi quase uma repetição da primeira etapa, com a diferença da maior força imprimida pelo Vasco em campo. Mas a equipe não obteve sucesso em suas investidas ao ataque e a partida terminou empatada.

Resende

Mauro; Gerson, Lucas, Thiago Sales e Marcelo; Dudu, Leo Silva, Marcel e Deoclécio; Clebson e Geovane Maranhão.

Técnico: Aílton Ferraz.

Vasco da Gama

Diogo Silva; Danilo, Jomar, Rafael Vaz e Lorran; Aranda, Felipe Bastos, Dakson, Montoya e Bernardo; Thalles.

Técnico: Adilson Batista.

Trio de arbitragem

Edmar Campos da Encarnação (árbitro), Marcos Santos Vieira (auxiliar) e Jander Rodriges Lopes (auxiliar).

*Leia a cobertura completa da partida na edição de sexta-feira (4) do caderno CRAQUE no Jornal A CRÍTICA