Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Timão vence Leão por 3 a 0 e avança na Copa do Brasil

Corinthians não encontrou dificuldade em vencer o Nacional de Manaus por 3 a 0. O resultado descartou o jogo de volta e pôs fim ao sonho do Leão em repetir o feito do ano passado na Copa do Brasil

Corinthians mostrou superioridade técnica sobre o time do Nacional

Corinthians mostrou superioridade técnica sobre o time do Nacional (Márcio Silva)

Corinthians venceu o Nacional por 3 a 0 na noite desta quarta-feira (30) e se classifica para a terceira fase da Copa do Brasil. Em ritmo de treino, o Timão dominou boa parte da partida disputada na Arena da Amazônia – Vivaldo Lima. O primeiro gol da equipe paulista saiu antes dos 10 minutos de partida e ficou logo clara a diferença técnica entre os dois times.

O Leão ainda ensaiou uma reação na etapa final que durou até os 15 minutos, mas custou apenas o terceiro gol do Corinthians, marcado por Romarinho.

O Timão agora vai esperar seu próximo adversário que sai do confronto entre América-MG e Bahia. Já o Leão deve se concentrar para a finalíssima do Barezão contra o Princesa do Solimões, no sábado (3).

O jogo

Em uma Arena da Amazônia lotada com 35 mil torcedores, o Corinthians, que entrou em campo com seu uniforme amarelo, se sentiu em casa, vendo seus ‘loucos’ superarem e muito o número de nacionalinos presentes.

A primeira grande chance de gol foi do Timão, antes dos dois minutos de partida. Em ataque pela esquerda, em bom cruzamento de Luciano, mas Guerrero tentou uma bicicleta e furou.

Nervoso em campo, o Nacional errava passes e não conseguia prosseguir do meio campo com a bola até o ataque. Mais consciente em campo, o Corinthians desarmava com facilidade os jogadores do Leão.

Em uma falta distante da área, Bruno Henrique lançou bola na área com rapidez. A bola foi na medida para o zagueirão Gil cabecear para o gol aos 6 minutos da primeira etapa. Nacional 0 a 2 Corinthians.

O gol só deixou o Leão mais confuso em campo, que foi sendo acuado em campo e sem saber o que fazer para parar as investidas do Corinthians. Luciano fez falta feia em Jefferson Recife e levou cartão amarelo aos 7 minutos.

Em tentativa de saída da defesa, Chapinha foi desarmado por Bruno Henrique, que avançou sozinho até a área, chutou com força e obrigou o goleiro Jairo a soltar a bola. Oportunista, Guerrero apareceu em frente ao goleiro do Naça e chutou forte para balançar as redes, ampliando o placar aos 21 minutos da primeira etapa. Nacional 0 a 2 Corinthians.

A tônica do jogo permaneceu a mesma até o apito do árbitro Gilberto Rodrigues Castro para marcar o fim do primeiro tempo. O Corinthians até se deu ao luxo de pisar no freio, mas isso não significou que o Leão melhorasse na partida.

O intervalo fez bem ao Nacional, que voltou com uma postura mais agressiva para a segunda etapa. Sinomar Naves, comandante do Naça, sacou Eder logo no início e colocou o endiabrado Carlinhos Bala, que ajudou a colocar fogo na partida.

O Leão da Vila Municipal foi sufocando o Corinthians e não deixou a equipe paulista respirar quando a mesma tinha a posse de bola. A pressão do Naça durou até os 17 minutos.

Cansado dos erros de Luciano, Mano Menezes substituiu o atacante pelo sempre iluminado Romarinho. E foi Romarinho, em seu primeiro lance de ataque, quem chutou de fora da área despretensiosamente e contou com a ‘ajuda’ de Jairo para marcar o terceiro tento. Nacional 0 a 3 Corinthians.

O gol significou uma pá de cal no time do Nacional, que voltou a mostrar a mesma apatia do primeiro tempo. A partir deste momento, o jogo se tornou um treino da defesa corinthiana contra a defesa nacionalina.

Aos 25 minutos Sinomar Naves sacou Chapinha da equipe e colocou Luciano em camp para tentar dar novo gás aos time do Nacional. Três minutos depois, Mano tirou Petros do alvi negro e colocou o volante Guilherme.

Fabiano do Nacional mandou para a rede corinthiana, aproveitando sobra de uma bicicleta de Léo Paraíba. Mesmo em posição legal, o auxiliar marcou impedimento, frustrando o Leão.

Em falta desproporcional, Denis fez falta dura no volante Guilherme aos 36 minutos de jogo e revoltou os jogadores de Parque São Jorge. O jogador do Naça foi penalizado com um cartão amarelo.

Em sua última substituição, Mano Menezes tirou um cansado Jadson de campo e colocou Zé Paulo. O meia corinthiano saiu aplaudido pela torcida.

O Corinthians novamente desacelerou o ritmo, mas, desta vez, mais pelo cansaço causado pelo calor. O Nacional tentou se aproveitar disto para marcar seu gol de honra. Mas sem sucesso. Fim de jogo na Arena!

Nacional

Jairo; Amaral, Índio, Rodrigão, Jefferson Recife; Denis, Negretti, Eder; Chapinha, Fabiano e Léo Paraíba.

Técnico: Sinomar Naves.

Corinthians

Cássio, Fagner, Cleber, Gil e Uendel; Ralf, Bruno Henrique, Petros e Jadson; Luciano e Guerrero.

Técnico: Mano Menezes.

Trio de arbitragem

Gilberto Rodrigues Castro Junior (árbitro), Elan Vieira de Souza (auxiliar) e Armando Lopes de Sousa (auxiliar).

Renda: R$ 1.970.000


**Mais informações na edição de quinta-feira (1) do Jornal A CRÍTICA