Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Princesa do Solimões perdeu por 2 a 1 para Santos, mas continua na Copa do Brasil

Em uma partida que iniciou com cara de goleada histórica do Santos, o Princesa do Solimões se recuperou e vendeu caro a derrota dentro de sua casa. A vaga para a terceira fase na Copa do Brasil agora será decidida na Vila Belmiro

O Princesa venceu caro a derrota em casa para o Peixe

O Princesa venceu caro a derrota em casa para o Peixe (Evandro Seixas)

Em partida de muita raça, o Princesa do Solimões perdeu para o Santos por 2 a 1 na noite desta quinta-feira (8) mas permaneceu vivo na Copa do Brasil. A equipe de Manacapuru fez um primeiro tempo ruim, mas buscou o resultado intensamente na segunda etapa e por pouco não empatou o placar.

O resultado deixou o técnico Marquinhos Piter satisfeito, mesmo com a derrota de seu time. "Foi um belo jogo, nós tivemos a chance do empate no segundo tempo, mas infelizmente não conseguimos. É a nossa primeira participação na Copa do Brasil, já passamos de fase e estamos tendo a chance de competir contra os melhores times e técnicos do país. Estou feliz", comentou Piter.

As equipes voltam a se enfrentar na Vila Belmiro, em Santos, no jogo de volta pela Copa do Brasil para decidir a vaga para a terceira vaga na competição na próxima quinta-feira (15). O Santos garantiu a vantagem do empate.

O jogo

Uma grande festa foi armada pelos 19.475 torcedores que compareceram à Arena da Amazônia. Desta vez, a maioria era de torcedores do Tubarão, que compareceram em peso para prestigiar o duelo da equipe com o Santos.

O Princesa do Solimões iniciou a partida nervoso e se tornou presa fácil para a rápida equipe santista, que com um toque de bola envolvente ditou o ritmo.

Lídio e He-Man batiam a cabeça para encontrar Lucas Lima, Gabriel e Geuvânio em campo. Não tardou para o Peixe marcar o primeiro gol. Aos 4 minutos do primeiro tempo, Gabigol recebeu bola aérea pela esquerda, girou e chutou a bola dentro da área, a bola desviou nos pés de Lídio e enganou Raiscifran, que ainda se esticou todo. Um belo gol. Princesa 0 a 1 Santos.

O desespero pareceu tomar conta dos jogadores da cidade de Manacapuru. Fininho e Michel Parintins não viram a cor da bola durante os primeiros 20 minutos de jogo. A aflição da defesa do Tubarão continuou em tentar conter os Meninos da Vila. Aos 10 minutos He Man saiu errado e tropeçou, a bola sobrou de graça para o atento Lucas Lima que avançou poucos metros e chutou forte e rasteiro, no canto direito de Raiscifran. Princesa 0 a 2 Santos.

O segundo gol pareceu ter despertado um espírito guerreiro nos amazonenses. Ainda que de forma desajeitada, o Princesa não deixou mais o Santos tomar conta do jogo.

Aos 17 minutos o Princesa teve sua primeira chance de gol com Branco. O atacante recebeu bola pela esquerda e avançou com velocidade para a área adversária, mas o chute ao gol foi para fora.

Com faltas para parar as jogadas, o Tubarão foi se impondo. Tamanha vontade quase descamba para a violência. He-Man pegou Bruno fora do lance e recebeu o primeiro cartão amarelo do jogo aos 21 minutos.

Os santistas se recusaram a ‘apanhar de graça’ e revidaram as faltas cometidas pelo Princesa. Cinco minutos depois foi a vez de Jubal receber o primeiro cartão do alvinegro praiano por segurar o atacante Branco.

As faltas duras de ambos os lados irritaram o técnico Oswaldo de Oliveira, que discutiu rispidamente com o quarto árbitro, pedindo que fossem tomadas medidas para coibir as entradas mais violentas.

O Princesa continuou, aos poucos, se encontrando. Michel e Fininho iniciaram uma movimentação mais dinâmica em campo e conseguiram distribuir as jogadas de ataque. Alison, do Santos, tomou um drible entre as pernas de Michel Parintins e parou a jogadas. A atitude anti desportiva foi punida pelo árbitro Vieira com um cartão amarelo, aos  33 minutos do primeiro tempo.

Dois minutos depois o Santos voltou a assustar o Tubarão com Lucas Lima. O meia chutou forte de fora da área e Raiscifran se esticou todo para impedir o terceiro gol santista.

Aos 39 minutos Fininho cobrou escanteio, Lídio subiu sozinho próximo da pequena área, mas cabeceou para fora. Foi a última chance clara de gol do Princesa no primeiro tempo.

Com o resultado de dois gols de diferença que eliminavam o Princesa da competição, Marquinhos Piter resolveu ser mais ousado no segundo tempo e promoveu a entrada e Edinho Canutama e Marinelson, no lugar de Alberto e Nando.

As alterações se mostraram acertadas e a etapa final foi completamente diferente da primeira para o Princesa. Sem nada a perder, o Princesa foi com tudo para cima do Santos e levantou sua torcida.

Edinho Canutama entrou com tudo na partida. Logo no primeiro minuto, em sua característica veloz brigou pela bola e rapidamente avançou pela esquerda, cruzando bola da Branco que perdeu um gol inacreditável.

Um minuto depois Fininho cobrou falta venenosa contra o gol santista, o goleiro Aranha defendeu com o punho e deixou o rebote para Marinelson do lado esquerdo, que cruzou para Branco, de cabeça, marcar o gol de sobrevida do Princesa. Na raça! Princesa 1 a 2 Santos.

A pressão do Tubarão em cima do Peixe continuou e a vontade além da conta também. Aos 4 minutos, Amaral entrou atrasado em dividida com Alison e recebeu mais um amarelo, o quarto da partida.

O Princesa continuou jogando bem e perdendo muitos gols. Aos 9 minutos da etapa final, após bola trabalhada por Canutama, Branco recebeu cruzamento, pegou bola de primeira mas mandou para longe.

Aranha operou um milagre em chutaço de Fininho aos 14 minutos e impediu o empate do Tubarão contra o Peixe.

Oswaldo sentiu o momento do Princesa no jogo e sacou Geuvânio Bruno Uvini para colocar Leandrinho e Diego Cardoso para tentar mexer com o Santos aos 26 minutos.

A conhecida marcação que o Princesa do Solimões impõe aos seus adversários continuou funcionando e anulou o meio de campo santista. Infelizmente, isto não foi traduzido em mais gols para o Princesa. E a partida na Arena da Amazônia - Vilvado Lima terminou com a vitória do Santos.

Princesa do Solimões

Rascifran; Deurick, Lídio, He-Man e Alberto; Rondineli, Amaral, Fininho e Michel Parintins; Nando e Branco.

Técnico: Marquinhos Piter.

Santos

Aranha; Bruno Peres, Bruno Uvini, Jubal e Émerson; Alison, Alan Santos, Geuvânio, Lucas Lima e Gabriel; Leandro Damião.

Técnico: Oswaldo de Oliveira

Trio de arbitragem

Caio Max Augusto Vieira (árbitro), Luis Carlos Camara Bezerra (auxiliar) e Lorival Candido das Flores (auxiliar).

Renda

R$ 568,270 mil


**Leia a notícia completa na edição de sexta-feira (9) no caderno CRAQUE do Jornal A CRÍTICA