Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

'Estamos prontos', afirmou Hitzfeld, sobre a classificação da Suíça sobre Honduras

Precisando de uma vitória simples ou mesmo um empate para se classificar para as oitavas de final, a comissão técnica e jogadores suíços não demonstram medo em relação ao clima amazônico ou mesmo a maioria de torcedores de Honduras no jogo decisivo da Copa do Mundo de quarta-feira (25), na Arena da Amazônia

"Engolir cinco gols não é fácil, mas é melhor sofrer cinco e também marcar do que não fazer mais nenhum", comentou o técnico sobre a goleada sofrida contra a França

"Engolir cinco gols não é fácil, mas é melhor sofrer cinco e também marcar do que não fazer mais nenhum", comentou o técnico sobre a goleada sofrida contra a França (Márcio Silva)

A delegação suíça de futebol treinou no fim da tarde desta terça-feira (24) no gramado da Arena da Amazônia e tiveram, pela primeira vez, a sensação do clima dentro do estádio onde os helvéticos terão de esquecer a goleada sofrida para a França na última rodada e ir com tudo para cima de Honduras tentar a classificação. “Não penso em eliminação, estou convicto de iremos chegar as oitavas, de que vamos continuar nesta Copa”, disse Ottmar Hitzfeld, técnico da seleção suíça de futebol durante entrevista coletiva a jornalistas.

A imprensa teve acesso somente aos quinze minutos iniciais do treino suíço na Arena – que iniciou as 17h30 -, e pôde apenas cobrir os jogadores realizando leve atividade física. Da equipe titular original desde o início da Copa, somente o zagueiro Steve von Bergen, cortado da competição por contusão no jogo contra a França não entra em campo. Ele será substituído por Djorou no jogo contra Honduras.

O técnico Hitzfeld mostrou confiança total em seus jogadores para a conquista da última vaga do grupo E. Ao contrário de Honduras, que necessita de uma combinação de resultados e vitória de três ou mais gols, a Suíça depende apenas de uma vitória simples ou empate contra a equipe da América Central. “De forma geral a gente entra no jogo para ganhar. Não vamos ficar só na defesa, não vamos ficar no 0 a 0. Isso não é a mentalidade da Suíça”, disse o técnico.

Nem mesmo o provável apoio maior a Honduras na quarta-feira (25) assusta o veterano alemão comandante dos suíços. “Honduras talvez tenha mais torcedores amanhã, mas o Equador também teve mais e nós estávamos bem preparados. Os jogadores estão bem acostumados com esse tipo de situação”, finalizou.

Clima desfavorável

A temperatura e umidade do ar amazônico não foram assuntos esquecidos durante a coletiva de imprensa. Ottmar Hitzfeld foi um dos técnicos que se mostraram contrários a ideia de jogar em Manaus durante a Copa ainda no ano passado. Para o lateral direito Stephan Lichtsteiner, da seleção suíça - e da gigante Juventus de Turim, da Itália -, as condições que se apresentam são as mesmas para as duas seleções.  “É possível. Os times da América do Sul estão acostumados com a temperatura e os gramados. Isso é uma vantagem, mas as dificuldades são para todos. A umidade é diferente, mas na Itália também temos temperaturas diferentes, temos que nos adaptar porque amanhã é um jogo importante”, finalizou Lichtsteiner, um dos jogadores mais experientes da Suíça.


*Com informações da repórter Lorenna Serrão

**Leia mais na edição de quarta-feira (25) do caderno CRAQUE no Jornal A CRÍTICA