Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Nacional consegue empate contra o Remo no Mangueirão

Apesar de ter saído na frente, o Nacional cedeu o empate e terminou a partida em 1 a 1. A equipe amazonense leva a vantagem de um novo empate sem gols no jogo de volta para se classificar.

Nacional conseguiu bom resultado fora de casa contra o Remo

Nacional conseguiu bom resultado fora de casa contra o Remo (Reprodução)

No segundo jogo envolvendo times amazonenses nas quartas de final da Copa Verde, o Nacional empatou em 1 a 1 com o Remo no estádio Mangueirão, em Belém, na noite desta quinta-feira (27). O Leão da Vila Municipal começou melhor o jogo e terminou o primeiro tempo vencendo, mas cedeu o empate na segunda etapa para os donos da casa.

Mesmo assim, o Nacional tem a vantagem do empate por um resultado sem gols no jogo de volta, a ser disputado no próximo dia 9 de março, na Arena da Amazônia.

O jogo

O Remo entrou para jogar com seu uniforme principal, enquanto o Naça vestia a camisa amarela. A partida iniciou equilibrada com a equipe paraense tentando fazer valer seu mando de campo, com a torcida empurrando o time. Sem temer o adversário, o Nacional parecia estar tranqüilo na partida e não demonstrou afobação.

O Leão da Vila Municipal também estava com uma defesa sólida que repeliu os ataques do Remo nos primeiros minutos de jogo.

Aos 11 minutos de partida veio a primeira chance do Remo com uma cabeçada para fora de Jonathan, que entrou sorrateiramente na área do Naça.

O Leão não deixou por menos e logo depois chegou ao ataque com Chapinha, Romarinho e Fabiano. O volante chutou forte e obrigou o goleirão Levy a fazer a defesa em dois tempos.

Tentando ganhar força no meio de campo, o Nacional adiantou sua marcação e se utilizou de entradas duras para conter o Remo. Jefferson Recife cometeu falta por trás e foi advertido com um cartão amarelo pelo árbitro Jânio Pires Gonçalves.

A postura tática do Naça surtiu efeito e o Remo sentiu dificuldade de tocar a bola e chegar à área de ataque. Quando teve a oportunidade, levou a pior contra a zaga amazonense.

Enquanto o Remo tentava se achar, o Nacional começou a investir nos contra ataques rápidos puxados por Chapinha e Éder. Em um deles, aos 20 minutos, Jefferson Recife foi servido com precisão e chutou com perigo.

Aos 24 minutos Chapinha perdeu bola na intermediária e acabou armando o contra ataque do Remo. Eduardo Campos avançou até a linha de fundo e chutou cruzado da direita, a bola passou rente ao gol mas nenhum companheiro apareceu.

O Nacional abriu o placar aos 32 minutos de partida com o grandalhão Fabiano. Dalyson, de longe, levantou a bola na área e Fabiano cabeceou de costas no canto direito do gol. Remo 0 a 1 Nacional.

A torcida do Mangueirão exigia uma melhor postura do time e o Remo foi para cima do Nacional tentar igualar o placar. No entanto, a defesa do Naça mostrou-se sólida e não cedeu às jogadas ofensivas do Remo, que ora tentava trocar passes na frente da área e ora investia nas subidas pelas laterais.

Chapinha, além de cair de produtividade ao longo da primeira etapa, ainda foi advertido com um cartão amarelo por falta boba no meio de campo.

Fabiano mostrou que não é bom apenas na jogada aérea. O atacante recebeu lançamento e avançou o quanto pôde até ver Chapinha livre. O meia chutou a bola por cima do gol.

O zagueirão Alex Ruan acabou levando um amarelo por falta em Éder. Foi o primeiro cartão do Remo no jogo.

Nos cinco minutos finais o Remo partiu com tudo para tentar um ‘abafa’ na defesa do Nacional e quase igualou o placar. Aos 43 minutos, Thiago Potiguar cabeceou forte e rápido para o gol após aproveitar escanteio. O goleirão Jairo salvou no susto e em cima da linha.

Aos 45 minutos Jairo novamente foi acionado ao defender bola venenosa e bem colocada de Jonathan, salvando o Nacional.


Na segunda etapa o Nacional adotou uma postura mais conservadora em campo, dando a entender que estava satisfeito com a vantagem de um gol. O Remo aproveitou para se lançar no ataque.

Mesmo atuando mais no meio de campo do Nacional, o Remo não conseguia criar jogadas efetivas de gol.

Para reforçar ainda mais sua defesa, o técnico Francisco Diá sacou Jefferson Recife do ataque e colocou Ramon em campo.

Aos 18 minutos de partida Negreti sentiu contusão e teve de ser retirado de maca. Marisco entrou em seu lugar.

E foi em um erro individual de marcação de Marisco que o Remo abriu o placar aos 20 minutos. Em jogada de pura raça, Alex Ruan dividiu com dois zagueiros do Naça na linha de fundo e ganhou, ele cruzou para a área e Marisco deixou Zé Soares – que havia entrado no 2º tempo, livre para deixar tudo igual no Mangueirrão. Remo 1 a 1 Nacional.

Remo

Fabiano, Levy, Max, Carlinho Rech e Alex Ruan; Dadá, Jhonnatan, Ilaílson e Eduardo Ramos; Thiago Potiguar e Val Barreto.

Técnico: Charles Guerreiro.

Nacional

Jairo; Daylson, Índio, Rodrigão e Fabinho; Romarinho, Negretti, Éder e Chapinha; Jefferson Recife e Fabiano.

Técnico Francisco Diá.

Trio de arbitragem

Jânio Pires Gonçalves (árbitro), Carlos André Pereira Sousa (auxiliar) e Sandro do Nascimento Medeiros (auxiliar).