Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Santos vence e elimina Princesa da Copa do Brasil

A equipe do Princesa do Solimões já entrou em campo precisando vencer por dois ou mais gols de diferença para tentar a classificação, e acabou perdendo a partida por 4 a 2 na Vila Belmiro

He-Man, em um lance inusitado, marcou seu gol, mas foi contra

He-Man, em um lance inusitado, marcou seu gol, mas foi contra (Reprodução)

O Santos confirmou o favoritismo e avançou para a terceira fase da Copa do Brasil ao vencer o Princesa do Solimões por 4 a 2 na noite desta quinta-feira (15) no estádio da Vila Belmiro, onde pouco mais de três mil torcedores santistas testemunharam o triunfo do time.

A equipe amazonense havia perdido a primeira partida na Arena da Amazônia por 2 a 1 o que por si só já foi um grane feito. Assim, caiu a última equipe amazonense na competição.

O Princesa agora concentra toda a força e concentração para a primeira partida da final contra o Nacional, para tentar o bi campeonato do Barezão. As duas equipes se encontram no próximo domingo (18) no estádio do Sesi, na Zona Leste de Manaus.

Já o Santos deve enfrentar o time paranaense do Londrina no próximo jogo da Copa do Brasil.

O jogo

O Princesa do Solimões entrou em campo bem mais tranqüilo do que no último encontro com o Santos. Sem afobação, o Tubarão tentou jogar de igual para igual o quanto pôde com o Peixe.

Durante os primeiro vinte minutos da primeira etapa, a disputa se concentrou no meio de campo da Vila Belmiro, com cada equipe desarmando a outra sem exagero nas faltas cometidas.

Aos poucos, o Santos foi mostrando sua superioridade técnica. A primeira chance clara de gol dos paulistas foi com Thiago Ribeiro pela esquerda. O atacante recebeu lançamento de Geuvânio e sem marcação avançou pela grande área, tentou tocar pra o companheiro Gabriel mas Lídio cortou. A sobra ficou para o próprio Thiago que encheu o pé e tirou tinta da trave superior de Raiscifran aos 11 minutos.

O Princesa respondia tentando contra ataques rápidos para cima do Santos que se contrava no campo do ataque. No entanto, nas vezes em que Michel Parintins ou Fininho conseguiam um lançamento de longa distância para Marinelson, o atacante acabava caindo na linha de impedimento imposta pela zaga santista.

O primeiro gol do Peixe saiu aos 18 minutos, dos pés de Gabriel. O ‘Gabigol’ recebeu bola em velocidade no meio de campo e correu muito sem marcação para a área do Princesa. Raiscifran que estava fora da posição foi driblado e o atacante santista mandou bola para o gol. Santos 1 a 0 Princesa.

No lance, Raiscifran acabou se machucando e teve de ser substituído por Milton, gastando a primeira alteração de Marquinhos Píter.

Cinco minutos depois, a defesa do Princesa não se entendeu e ajudou Cicinho a marcar o segundo do Peixe. Mena, cruzou pela esquerda e Cicinho tentou cabecear, mas foi mal. Em vez de cortar a bola, Lídio se enroscou com Milton, a trabalhada ajudou Cicinho a tentar de novo, e desta vez, chutou para o gol com tranqüilidade para marcar. Santos 2 a 0.

Sem nada a perder, o Princesa continuou tentando seu gol. Tanto tentou que conseguiu aos 38 minutos do primeiro tempo. Em lance iluminado de Marinelson, o atacante arrancou com rapidez pela direita, entrou na área, deu um corte seco em Jubal e tocou para Michel Parintins que chutou rasteiro e certeiro no canto esquerdo de Aranha, que se esticou todo mas não alcançou. Santos 2 a 1 Princesa.

A tarefa difícil e conseguir a classificação do Princesa ficou impossível quando, aos 9 minutos da etapa final, viu He-Man protagonizar um lance para lá de estranho. O zagueiro, que jogou improvisado na lateral, era o último homem do time na pequena área e em vez de cortar o cruzamento de Lucas, mandou a bola contra o patrimônio ao se atrapalhar em decidir com qual de suas duas pernas chutaria. Foi um banho de água fria. Santos 3 a 1 Princesa.

Mas a equipe de Manacapuru não se deixou abater e foi com tudo para cima. Aos 13 minutos, após falta cobrada a favor do Princesa, a bola bateu no braço de Branco e sobrou para Déurick que não desperdiçou a chance de ouro de marcar o segundo do Princesa. Santos 3 a 2 Princesa.

Branco meteu a mão na bola novamente, desta vez fora da área e de maneira consciente. Pelo lance, o árbitro deu o primeiro cartão amarelo na partida para o jogador aos 14 minutos. Na sequência, por falta, He-Man levou o segundo amarelo.

Para evitar o pior, Marquinhos Píter mexeu na equipe, sacou Branco e colocou o talismã da equipe, Edinho Canutama, para tentar atear fogo na partida, aos 16 minutos da etapa final.

Para não arriscar uma improvável zebra na equipe, o Santos foi endurecendo o jogo contra os amazonenses. Jubal entrou com muita vontade em Marinelson e levou cartão amarelo, o terceiro do jogo, aos 20 minutos.

Thiago Ribeiro, que fazia grande partida ampliou a vantagem do Peixe aos 25 minutos quando recebeu bola pela esquerda e chutou com força sem chance para Milton. Santos 4 a 2 Princesa.

A vaga estava para lá de garantida e Oswaldo de Oliveira aproveitou para testar novas formações no Santos. Trocou Arouca para colocar Leandrinho. Logo após, tirou Thiago Ribeiro e colocou Diego Cardoso.

 O jogo ganhou ares de pelada e a vontade foi mais forte que a técnica e esquema tático por parte de ambas as equipes. E ficou por isso mesmo. O Princesa caiu na Copa do Brasil de cabeça erguida e viu o Santos avançar.

Santos

Aranha; Cicinho, Jubal, David Braz e Mena; Alison, Arouca e Lucas Lima; Geuvânio, Thiago Ribeiro e Gabriel.

Técnico: Oswaldo de Oliveira

Princesa do Solimões

Raicefran; Déurick, Clayton He-Man e Lídio; Alberto, Amaral, Rondinelli, Michel e Fininho; Nando e Branco

Técnico: Marquinhos Piter

Trio de arbitragem

Pablo Ramon Goncalves Pinheiro (árbitro), Vinicius Melo de Lima (auxiliar) e Jean Marcio dos Santos (auxiliar).

Renda

R$ 63.130,00

 

*Leia a matéria completa na edição de sexta-feira (16) do Jornal A CRÍTICA