Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Ex jogador Romerito faz visita à Arena da Amazônia em Manaus

A lenda do tricolor carioca visitou a Arena da Amazônia e diz ser um dos mais belos estádios da Copa. Ele ainda relembra do jogo que fez no antigo estádio Vivaldo Lima


 “Foi um dia bonito de festa", relembra Romerito sobre a última vez que esteve em Manaus, ainda como jogador do Fluminense

“Foi um dia bonito de festa", relembra Romerito sobre a última vez que esteve em Manaus, ainda como jogador do Fluminense (Divulgação)

O ex-jogador Romerito, 53 anos, ídolo do Fluminense na década de 80 e que também defendeu o Cosmos, dos Estados Unidos, e a seleção do Paraguai, visitou na tarde desta terça-feira, 10 de dezembro, a Arena da Amazônia. Julio César Romero Insfrán veio a Manaus a convite da Fifa acompanhando a visita da imprensa internacional ao estádio da Copa do Mundo de 2014.

“É uma arena muito bonita. Quando ficar pronta, será um dos mais belos estádios da Copa”, disse Romerito, que jogou em 1980 no Vivaldão,  na partida entre Cosmos X Fast Clube, ao lado de estrelas como o ex-capitão da Seleção Brasileira, Carlos Alberto Torres (expulso), do alemão Franz Backenbauer e do italiano Georgio Chinaglia, entre outros. A partida é até hoje considerada a de maior público no Amazonas, com 56 mil torcedores. Romerito jogou no New York Cosmos entre 1980 e 1983.

E é a imagem do público e do calor que fazia no dia do jogo, em 9 de março de 1980,  a memória mais marcante de Manaus para o meia que é considerado o maior jogador paraguaio de todos os tempos. “Foi um dia bonito de festa. O jogo terminou em zero a zero. Naquela época a cidade era muito pequena, lembro de ver muito mato, diferente de hoje em dia em que a cidade é muito grande”, recorda.

À tarde, durante a visita da imprensa internacional, ele se encontrou com o amazonense Fabinho, que  jogava no Fast e estava no banco de reservas no jogo contra o Cosmos porque o clube amazonense acabara de contratar nada menos que o tricampeão mundial Clodoaldo para a posição que ele jogava.  Os dois conversaram relembrando o grande jogo que ficou para a história do futebol amazonense.