Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Blatter sugere uso de mais tecnologia na arbitragem no futuro

A arbitragem tem gerado polêmica neste Mundial. Logo no jogo de estreia, um pênalti inexistente em Fred marcado para o Brasil fez a Croácia reclamar muito e até sugerir um possível favorecimento aos donos da casa

"Tudo está bem, eu não diria perfeito", sobre a Copa do Mundo no Brasil

"Tudo está bem, eu não diria perfeito", sobre a Copa do Mundo no Brasil (Reprodução)

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, fez uma avaliação positiva da Copa do Mundo no Brasil e disse, nesta quarta-feira (2), que no futuro o futebol poderá utilizar recursos eletrônicos para lances polêmicos da arbitragem, mas admitiu que "errar é humano".

"Há sempre alguns incidentes, porque errar é humano. Os jogadores cometem erros, os treinadores cometem erros, também os árbitros cometem erros... Mas no final, o melhor ou o mais sortudo vai ganhar", disse Blatter durante seminário de gestão esportiva da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e da Fifa, no Rio de Janeiro.

Por outro lado, a comissão técnica brasileira passou a reclamar dos árbitros e argumenta que houve pênalti em Hulk e um gol mal anulado também de Hulk na partida de oitavas de final contra o Chile.

O presidente da Fifa disse que iria se encontrar com os árbitros do Mundial nesta quarta-feira e falar sobre a ajuda de recursos eletrônicos, como existe no tênis e no vôlei atualmente.

A ideia seria que cada treinador tivesse duas checagens por jogo, para que pudessem constatar qual a decisão correta.

"Essa é uma outra ideia, mas para o futuro. Vou visitar os árbitros hoje e perguntar-lhes o que eles pensam sobre isso", disse Blatter, após comentar sobre o uso da tecnologia da linha do gol e dos sprays para marcar as faltas, utilizados pela primeira vez nesta Copa.

Blatter comentou também a eliminação de países importantes do Mundial, como Espanha, Inglaterra e Itália, ainda na primeira fase, e os jogos equilibrados das oitavas de final, nos quais cinco confrontos foram para a prorrogação.

"Não existem mais nações dominantes que vêm aqui e atropelam. Não, eles não estão atropelando, isso acabou. Todo mundo está no mesmo nível... e o nível melhorou. É o futebol no seu melhor."

Fora de campo, o presidente da Fifa comemorou a organização do Mundial, dizendo que chegou a se questionar se os estádios ficariam prontos, e que eles são "magníficos".

"Tudo está bem, eu não diria perfeito porque não existe perfeição neste mundo", disse.

Blatter disse ainda que não estão sendo vistos grandes protestos populares, que ameaçavam atrapalhar o evento, depois das manifestações ocorridas na Copa das Confederações, no ano passado.

"E tudo está indo bem agora. Onde estão os protestos?... (O povo brasileiro) aceitou a Copa do Mundo... E tem sido um sucesso, neste país em que futebol é mais do que uma religião, e eu estou muito feliz que a Fifa é parte deste sucesso."