Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Atletas do projeto “Nandinho” participam do Campeonato Brasileiro de Jiu-Jítsu, em SP

Campeonato acontece no Auditória Ibirapuera em São Paulo. Mais de 100 alunos são contemplados pelo projeto, cujo nome homenageia Fernando de Araújo Corrêa Filho, falecido em 2012

Atletas participam da competição, que vai até amanhã

Atletas participam da competição, que vai até domingo (18) (Divulgação)

Seis atletas do projeto “Nandinho”, desenvolvido pela Polícia Civil do Amazonas, sob a coordenação do investigador da instituição Melquisedeque Galvão, participam, entre os dias 16 e 18 de maio, do Campeonato Brasileiro de Jiu-Jítsu Esportivo 2014, realizado pela Confederação Brasileira de Jiu-Jítsu Esportivo (CBJJE).

O evento será realizado no Ginásio Mauro Pinheiro, no Complexo Esportivo Ibirapuera, localizado na rua Abílio Soares, na cidade de São Paulo. De acordo com o investigador e idealizador do projeto “Nandinho”, Melquisedeque Galvão, além de participarem do evento esportivo na capital paulista, os atletas estão aproveitando a oportunidade para conhecerem o projeto social “Lutando pelo Bem”, criado pelo mestre de Jiu-Jítsu Cícero Costha.

Melquisedeque destacou que o projeto “Nandinho” contou ainda com o apoio da Secretaria de Estado da Juventude, Desporto e Lazer (Sejel), que disponibilizou duas passagens áreas para a equipe, além da empresa Centro do Alumínio, Sindicato dos Funcionários da Polícia Civil do Estado do Amazonas (Sinpol-AM), Midway Suplementos e Infortrade.

Histórico

Inicialmente denominado “Ferinhas do Jiu-Jítsu”, o projeto, criado em fevereiro de 2011, passou a ser chamado de “Nandinho” em homenagem ao aluno Fernando de Araújo Corrêa Filho, falecido em 2012. A academia está localizada no Conjunto Oswaldo Frota, bairro Cidade Nova 1, Zona Norte de Manaus, no segundo andar da casa onde “Nandinho” morava. Atualmente mais de 100 alunos, com idades entre 4 a 17 anos, são contemplados pela iniciativa, que leva a assinatura da Polícia Civil do Amazonas.