Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Britânico que visita de bicicleta as cidades-sede da Copa chega a Manaus nesta quinta (12)

Ciclista trocou seu emprego de gerente contábil na cidade de Borough, Inglaterra, pela aventura de pedalar cerca de 8 mil quilômetros. Sua meta é visitar todas as 12 cidades-sede da Copa do Mundo no Brasil

O aventureiro britânico Andy Smith chega a Manaus nesta quinta-feira

O aventureiro britânico Andy Smith chega a Manaus nesta quinta-feira (Divulgação)

Nesta quinta-feira, 12 de junho, o ciclista britânico Andy Smith, que está fazendo uma turnê de bicicleta pelas sedes da Copa do Mundo no Brasil, fará uma visita ao Centro Cultural dos Povos da Amazônia (Praça Francisco Pereira da Silva, s/nº, Crespo, zona sul), e irá conceder uma entrevista coletiva, às 9h, no auditório. Manaus é 12ª cidade-sede de sua turnê #SambaCycle. 

O britânico, que trocou seu emprego de gerente contábil na cidade de Borough, Inglaterra, pela aventura de pedalar cerca de 8 mil quilômetros, estabeleceu uma meta de visitar todas as 12 cidades-sede da Copa do Mundo no Brasil. A jornada teve início em 21 de janeiro em Porto Alegre, passou por Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Salvador, Recife, Natal e Fortaleza, chegando agora a Manaus, a tempo para estreia da Inglaterra contra a Itália, em 14 de junho.

Grande fã de esporte, o ciclista de 35 anos, que nunca havia guiado uma bicicleta até os 17, conta o que o motivou: “Desde que foi anunciado que o Brasil sediaria a Copa de 2014, eu pensei nessa ideia. Este é um país fascinante, rico em cultura e de uma beleza incrível, e ainda tem o futebol!”, diz.

O ciclista, além de aventureiro é também solidário. Em sua página na web (http://smudgersambacycle.org), arrecada fundos em benefício a instituições que possuem projetos de inclusão para milhares de crianças e adolescentes de baixa renda ou que sofrem com questões de violência, drogas, discriminação, deficiência física e mental e pessoas soropositivas.

*Com informações da assessoria