Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Criciúma escala jogador irregular no Brasileirão e deverá ser punido com perda de pontos

Atacante Cristiano foi escalado pelo Tigre sem ter cumprido a punição de cinco jogos imposta pelo STJD. Diretoria contesta e diz que consultas não apontam irregularidade

Atacante Cristiano foi escalado irregularmente pelo Criciúma.

Atacante Cristiano foi escalado irregularmente pelo Criciúma. (Divulgação/internet)

Novos protagonistas e velhos erros. Depois de todo o imbróglio envolvendo a queda da Lusa no Brasileirão de 2013, desta a vez o provável punido, por escalação irregular de atleta, poderá ser o Criciúma. O clube catarinense deverá perder três pontos por ter colocado em campo o atacante Cristiano na partida em que perdeu para o Goiás, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro deste ano.

Cristiano foi expulso quando atuava pelo Naviraiense, em partida da Copa do Brasil do ano passado e foi punido pelo Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) com a suspensão de cinco jogos. O atleta não cumpriu a pena integralmente em competições nacionais e, mesmo assim, foi escalado pelo Tigre neste Brasileirão.

De acordo com o procurador do STJD, Paulo Schmidt, a denúncia foi feita nesta quinta-feira (29) e o jogador deverá ir à julgamento. Como o Criciúma perdeu a partida por 1 a 0, não perderá os pontos do jogo, porém, poderá perder três pontos pela escalação irregular. O caso é semelhante ao do Flamengo, que escalou o lateral André Santos na última rodada do Brasileirão do ano passado contra o Cruzeiro.

“Enviamos denúncia ainda ontem (29). O Atleta Cristiano tinha que ter cumprido cinco partidas. Situação semelhante ao do Flamengo no ano passado, em que encerra participação em um campeonato e fica a punição para outros campeonatos”, explicou o procurador.

Criciúma diz não haver irregularidade

Em entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (30), na sede do clube, o diretor jurídico do Criciúma, Albert Zilli dos Santos, apresentou emails e documentos enviados a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e ao Supremo, mostrando que não havia nenhuma irregularidade na escalação do jogador. O time catarinense alega que todos os meios possíveis de consulta de punições e outros fatores relacionados ao atleta foram checados e em nenhum documento de posse do clube consta algo que impossibilitaria o atacante.

"O atleta foi contrato pelo Criciúma em 15 de abril e, por procedimento padrão, o clube encaminhou ofício, por email, ao presidente do STJD para saber se havia algum tipo de punição, que ficou de informar se havia. O Criciúma enviou consultas a todos os órgãos competentes e por isso a apresentamos. Diante do que foi noticiado pela imprensa, levantamos toda a documentação que pode ser apresentada em caso de denúncia, embora o Criciúma não tenha comunicado oficialmente de qualquer coisa", disse o diretor jurídico do clube catarinense.    

Atleta sabia da punição, diz ex-dirigente 

Cristiano foi julgado pela expulsão na partida contra o Paysandu, valendo pela segunda fase da Copa do Brasil, ainda no primeiro tempo do jogo, após dar uma cabeçada na testa do adversário. O atleta foi julgado por “praticar agressão física”, sendo enquadrado no artigo 254-A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) que prevê gancho de quatro a 12 partidas. 

De acordo com um ex-dirigente do Maringá, o jogador sabia da punição de cinco jogos. “Ele foi penalizado por cinco partidas em competições da CBF. Quando saiu do Naviraiense e veio ao Maringá, não recorremos porque iríamos disputar o estadual. Se fosse uma competição nacional, iríamos tentar pedir a reversão em cestas básicas”, comentou o ex-diretor do Maringá em um programa de Santa Catarina.