Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Discurso dos técnicos após o último jogo na Arena mesclou despedida e satisfação

Enquanto o treinador de Honduras se despedia da seleção caribenha e agradecia seus atletas, Ottmar Hitzfeld falou em descanso e sentimento de dever cumprido


Jogador Shaqiri e treinador da Seleção Suíça, Ottmar Hitzfeld, durante entrevista coletiva

Jogador Shaqiri e treinador da Seleção Suíça, Ottmar Hitzfeld, durante entrevista coletiva (Marcio Silva)

Em tom de despedida, o técnico de Honduras, o colombiano Luiz Fernando Suárez, falou que vai deixar o futebol hondurenho. Mesmo satisfeito com o trabalho frente a “Bicolor”, onde citou que vê um grande futuro as equipe em futuras competições, o treinador prefere atuar em outro centro.

“Faltou futebol e intensidade. No segundo tempo o time melhorou, mas já estava 2 a 0 para a Suíça e não dava pra ganhar de 5 a 0. Tínhamos que impor o ritmo e tivemos até mais posse de bola, mas não conseguimos impor o nosso ritmo.”, explicou o técnico.

O comandante da seleção falou das chances perdidas no segundo tempo e do seu futuro em Honduras. “Tivemos três oportunidades de gols. Ainda não me despedi do grupo e do País, para o bem de Honduras uma mudança se faz necessário. Não estou satisfeito com a Copa, mas sim com o processo de renovação no futebol hondurenho que foi bom e conseguimos uma boa geração para as Olimpíadas”, disse Suarez.

Projetando o futuro do futebol hondurenho, o treinado disse: “Temos jovens bons e um novo técnico vai perceber que tem material humano bom para se classificar para os jogos Olímpicos. Quero agradecer a imprensa pelo trabalho. Fico triste pelo povo de Honduras por não ter conseguido o nosso objetivo nesse Mundial”, lamentou.

“Mas vou seguir o meu caminho tenho muita vontade de trabalhar. Sempre vou estar acompanhando a seleção de Honduras e vou torcer onde estiver por um time com um jogador de Honduras eles me fizeram aprender a gostar deles”, despediu-se Suárez.

A Suíça nas oitavas

O técnico Ottmar Hitzfeld parabenizou os jogadores da Suíça pela vitória. “Jogamos contra um time forte e contra o clima. O time mostrou vontade garra e se superou. Mas, para passar a próxima fase é necessário se sacrificar e o time fez isso e está de parabéns”.

Perguntado sobre o próximo adversário e como para o craque Lionel Messi, Ottmar se esquivou e disse: “Vamos primeiro nos recuperar. Chegaremos bem tarde a Porto Seguro e amanhã será descanso e compensar a perda de líquido. E não deve ser com  álcool antes de nos preparar com a Argentina, que deve ocorrer daqui a seis dias. Vamos  ter tempo para nos preparar”, alertou o treinador.

O alemão ainda falou em analisar o jogo com Honduras e somente depois desenvolver a estratégia para o jogo com os argentinos. Ottmar também falou do desempenho do craque Shaqiri que fez os três gols do jogo. “Eu não tinha encarado a perfomance de Shaqiri de forma negativa, mesmo contra o Equador e França, ele foi bem nos contra-ataques e pra mim foi importante”, elogiou.

Em relação a passar de fase na Copa, fato inédito da Seleção da Suíça, o treinador foi sensato. “Estou satisfeito com os jogadores. Não tinha dúvidas que poderíamos chegar. Mantemos a calma, disciplina, vontade de correr. Honduras teve as suas chances e o nosso goleiro reagiu e está de parabéns e, juntos, alcançamos a nossa meta.”, disse.

“Estar nas oitavas de final já é muito motivação e podemos fazer história. Acho que já estamos fazendo história nas Américas, onde não é fácil de jogar. Muitos times da Europa já fizeram as malas. Contra a Argentina não temos nada a perder, somente a ganhar.”, completou o técnico.