Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Estádio de abertura da Copa tem teste incompleto em último jogo antes do Mundial

Arena Corinthias, em São Paulo, foi entregue mal acabada para receber jogo de abertura da Copa do Mundo no Brasil, no dia 12 de junho

Estádio custou quase R$ 1 bilhão e ainda foi entregue às vésperas da Copa

Estádio custou quase R$ 1 bilhão e ainda foi entregue às vésperas da Copa (Portal Copa)

Ainda inacabada, a Arena Corinthians recebeu neste domingo o último jogo antes da abertura da Copa do Mundo, no próximo dia 12, com apenas parte das arquibancadas provisórias utilizada e obras no entorno.

Na partida pelo Campeonato Brasileiro diante de 37.119 torcedores, o Corinthians empatou com o Botafogo por 1 x 1 e segue sem vencer no novo estádio.

Este foi o segundo jogo oficial do clube paulista no local e em nenhum deles houve a capacidade completa, de 68 mil pessoas, devido aos atrasos para finalizar os trabalhos na arena que receberá Brasil x Croácia em 11 dias.

Após a primeira partida no local, em 18 de maio, quando quase 37.000 pessoas estiveram presentes, a Fifa optou por fazer mais um teste, com o estádio já sob sua responsabilidade, para testar as arquibancadas provisórias, que não foram usadas na derrota do Corinthians para o Figueirense e representam cerca de 20 mil lugares.

No entanto, apenas um dos dois setores provisórios puderam ser utilizados e apenas 40 mil ingressos foram colocados à venda para Corinthians x Botafogo, uma decisão “das autoridades paulistas, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar”, de acordo com o Portal da Copa, site do governo federal.

Com isso, o estádio terá sua capacidade completa pela primeira vez somente na abertura do Mundial, sem ter feito teste em um dos setores.

No entorno da arena, construída ao custo de cerca de R$ 1 bilhão, funcionários ainda trabalham montando as chamadas estruturas temporárias, instalações que vão acomodar mídia e segurança, entre outros, para a Copa do Mundo.

Uma das diferenças do primeiro para este segundo evento-teste foi a instalação de detectores de metais nas entradas. Mais locais de alimentação e outros serviços também foram utilizados.

"Temos algumas diferenças relevantes em relação ao último evento-teste. O dobro de voluntários e 100 homens a mais na área de segurança, e vamos utilizar raios-x para revista de pessoas e mochilas, semelhantes aos dos aeroportos”, disse o gerente-geral de integração operacional do Comitê Organizador Local (COL), Tiago Paes, em comunicado.

Nos transportes, o metrô e o trem seguiram sendo os meios mais usados pelos torcedores, e autoridades paulistas implementaram um reforço na comunicação feita pela Companhia de Engenharia de Tráfego, uma necessidade baseada em balanço realizado após a partida de maio.

Entrega atrasada

A Arena Corinthians deveria ter sido entregue em dezembro do ano passado, prazo determinado pela Fifa, mas as obras atrasaram principalmente por causa de um acidente com um guindaste em novembro, que deixou dois operários mortos. Um outro funcionário morreu no final de março ao cair de uma altura de 8 metros enquanto trabalhava na montagem das arquibancadas temporárias.

Dos 12 estádios para o Mundial, apenas dois foram concluídos dentro do prazo, os de Belo Horizonte e Fortaleza.