Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

'Guenta coração': Para torcer, é preciso cuidar do sistema cardíaco, alerta médico

A empresa de saúde que preste serviço para a Fifa no estádio atendeu a pelo menos quatro torcedores com sintomas de princípio de enfarte no estádio durante a partida deste sábado (28)

Para quem sofre de doenças como hipertensão, diabetes e outras disfunções cardíacas, os cuidados devem ser redobrados em tempo de Copa do Mundo

Para quem sofre de doenças como hipertensão, diabetes e outras disfunções cardíacas, os cuidados devem ser redobrados em tempo de Copa do Mundo (Reprodução/Internet)

A empolgação com as partidas do mundial pode ser revigorante, mas se for vivida muito intensamente, pode causar problemas de saúde, principalmente cardiovasculares, ou até mesmo óbitos. No último domingo (29), Jairo Rueda de Oliveira Guimarães, 69, morreu após dar entrada em hospital ao sofrer um infarto no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, durante o jogo entre Brasil e Chile, no sábado.

A empresa de saúde que preste serviço para a Fifa no estádio atendeu a pelo menos quatro torcedores com sintomas de princípio de enfarte no estádio durante a partida deste sábado (28). Outros dados de Copas passadas reforçam esses registros.

Na África do Sul, em 2010, a eliminação da Seleção Brasileira, após a derrota para a Holanda, resultou no aumento de 30% dos atendimentos de emergências cardíacas, de acordo com estudo inédito no país realizado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC).

Para quem possui o coração saudável, uma Copa do Mundo pode não oferecer tantos perigos. Já para quem sofre de doenças como hipertensão, diabetes e outras disfunções cardíacas, os cuidados devem ser redobrados.

Estes torcedores precisam estar atentos para não deixar que a ansiedade e a emoção, aliadas ao consumo de bebidas alcoólicas e exageros na alimentação provoquem problemas ao coração, alerta Rogério Moreno, cardiologista do Hapvida. Segundo Rogério, é importante saber dosar a emoção na hora da partida. “Felicidade faz bem. Mas é preciso saber lidar, também, com a frustração de uma derrota e com aquela angústia que causa a sensação de aperto no peito. Lembrar que é apenas um jogo e que não está ali para comprometer a vida de ninguém” ressalta.


A emoção do jogo em si pode não afetar tanto a saúde. Mas, o excesso de bebida alcoólica e a má alimentação são, segundo o médico, os principais causadores de riscos cardíacos durante as partidas de futebol.

“O consumo de bebida alcoólica combinada ao uso de medicamentos é motivo de dúvida para 90% dos pacientes que chegam ao consultório neste período. E a recomendação para estes pacientes, assim como para todas as pessoas diagnosticadas com patologias cardíacas, hipertensas ou diabéticas, é que façam o uso habitual dos seus remédios e sigam as orientações prévias de cuidado com a sua saúde”, aconselha o médico.

As discussões e os fatores psicológicos, como a ansiedade e o estresse, também são indicadores decisivos para desencadear os perigos ao coração. O cuidado durante os jogos deve ser reforçado especialmente para aqueles que apresentam: diabetes, pressão alta, colesterol ou triglicerídeos alterados (dislipidemia), tabagismo, sedentarismo, estresse, depressão e raiva, ou que tenham histórico familiar de infarto/angina precoce.

Entre as dicas para que a Copa do Mundo seja um momento apenas de alegria, lazer e diversão, o cardiologista ressalta a importância das pessoas não excederam na ingestão de bebida alcoólica e de alimentos gordurosos ou com alto teor de sal.

E, em caso de decisão da final nos pênaltis, a dica para os torcedores mais ansiosos e que não conseguem controlar a emoção e o nervosismo é “desligar a TV e assistir, depois, os melhores momentos”, diz Rogério Moreno.

O caso de Jairo

Jairo foi torcedor que morreu ao passar mal durante a partida entre Brasil e Chile no Mineirão. Ele ganhou o ingresso de presente de aniversário do filho, que o acompanhou ao estádio no dia em que o aposentado comemorava mais um ano de vida.

De acordo com o filho dele, João Marcello, tudo estava bem até ele e seu pai se separarem no intervalo do jogo. Por volta das 14h, ele foi procurado por um voluntário da Fifa foi até eles, que perguntou se alguém estava acompanhando o idoso, que portava os ingressos da família.

O voluntário informou que Jairo tinha procurado o posto médico do evento, dizendo que tinha diabetes e não tinha tomado o medicamento que controla a glicose. Ele foi levado para um outro posto médico localizado no subsolo do estádio e depois transferido para o Hospital Life Center, onde teve uma parada cardiorrespiratória e veio à óbito.