Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Cortada da Seleção Brasileira, Bianca Maia se prepara para novos desafios

Cortada da Seleção de ginástica rítmica na semana passada, amazonense pega pesado para retornar

Com muita garra, Bianca vai em busca do seu lugar ao sol e das Olimpíadas de 2016

Com muita garra, Bianca vai em busca do seu lugar ao sol e das Olimpíadas de 2016 (Euzivaldo Queiroz)

A ginasta amazonense Bianca Maia Mendonça, 20 começa o ano de 2014 de maneira bem diferente do que estava acostumada. Na semana passada, Bia - como é chamada carinhosamente pela família - deixou a seleção brasileira de ginástica rítmica onde treinava há três anos. Ela não passou por uma das avaliações periódicas feitas pela treinadora Camila Ferezin e saiu da equipe, que tem base em Aracaju-SE.

Bianca era considerada até então, a atleta amazonense com maiores chances de disputar os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Mas, o sonho não acabou. A ginasta mudou-se para Florianópolis-SC nesta semana, onde voltará a treinar e pelo clube que defendeu antes de integrar a seleção. Por telefone, Bianca Maia conversou com exclusividade com o MANAUS HOJE e falou pela primeira vez sobre a saída do time verde-amarelo.

O primeiro passo de Bia está sendo “sacudir a poeira” do corte, para começar trilhar sua volta por cima. “Fiquei triste sim, afinal, passei três anos na seleção. Mas, foi deixado bem claro que a qualquer momento nós podemos voltar (além de Bianca, Dayane Amaral também deixou o grupo). Então a situação é reversível. Continuo em treinamento, vou me dedicar ao individual e conjuntos neste ano pelo clube e ano que vem posso ser chamada para fazer nova avaliação”, destacou Bianca, esperançosa.

Segundo a atleta, as avaliações e as trocas na seleção de ginástica rítmica são comuns. “Todo ano existem pequenas seletivas onde a técnica renova algumas meninas. É muito difícil todas as selecionadas renderem o que tem que render. Algumas, ainda, chegam a desistir. Tudo faz parte do processo. Portanto, acredito que a seletiva que pretendo disputar no ano que vem não será a última chance de disputar as Olimpíadas. Até porque as meninas que entraram também estão sendo testadas”, afirmou.

Os treinos em Santa Catarina já começaram a todo vapor para a amazonense. “Quero continuar meu treinamento em ritmo forte para me destacar nas competições nacionais que disputar. O mais importante neste momento é não perder tempo”, contou a amazonense, que ganhou uma legião de fãs e o reconhecimento no Estado nos últimos anos, principalmente após conquistar três medalhas de ouro nos Jogos Pan Americanos de 2011, disputados em Guadalajara, México.

Ginásio ainda não saiu do papel

No meio do ano passado, quando a reforma da Vila Olímpica de Manaus foi anunciada pela Secretaria de Esportes do Estado (Sejel), uma das principais novidades foi a construção do Centro de Excelência em ginástica artística e ritmica que levará o nome de Bianca Maia dentro do complexo da Vila. A obra, de R$ 3,5 milhões porém, ainda não começou a sair do papel.