Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

José Aldo fala do amor pela esposa em entrevista

Casca grossa no octógono, José Aldo se derrete quando fala em Viviane. Casal contou sua história com exclusividade ao MANAUS HOJE

José Aldo é o tema do carnaval da Unidos do Alvorada. Ele e Viviane não escondem a ansiedade e prometem muita emoção e samba no pé no sambódromo, no sábado

José Aldo é o tema do carnaval da Unidos do Alvorada. Ele e Viviane não escondem a ansiedade e prometem muita emoção e samba no pé no sambódromo, no sábado (Antonio Lima)

O lutador amazonense José Aldo Júnior, 27, é implacável com os adversários quando sobe no octógono no UFC. Mas, existe uma pessoa que conseguiu “finalizar” Aldo há oito anos, sem precisar desferir um soco ou chute sequer: A esposa Viviane Oliveira. A curitibana e o manauara se casaram em julho de 2006, na véspera da final da Copa do Mundo daquele ano.

Ontem, eles conseguiram um espaço na apertada agenda que cumprem em Manaus para conversar com a equipe de reportagem do MANAUS HOJE. E com exclusividade, o casal de “pombinhos” unidos pela luta, relembrou alguns dos momentos do relacionamento e até dos perrengues que precisaram superar juntos.

Aldo e Viviane se conheceram em 2005. Ele já havia se mudado para o Rio de Janeiro, mas ainda estava longe de ser um astro. Aldo possuía sete lutas no cartel em eventos de pequeno e médio porte e morava em um barraco na favela Santo Amaro, no Catete. Viviane começou a praticar muay thai na academia onde José Aldo treinava (Upper Flamengo) e acabou virando recepcionista do local. Foi então que o manauara começou a dar dicas da arte marcial para Vivi. “No começo, era apenas vontade em ajudá-la nos treinamentos. Não rolava interesse de verdade. Mas, como ela passava o dia na academia, pois trabalhava de manhã e treinava à noite, foi rolando uma proximidade”, relembrou Aldo, que apesar de ir para cima de qualquer adversário no octógono, foi cauteloso no momento de “chegar” na amada. “Ela que acabou chegando em mim. A gente tem que ser difícil né? Pra conquista ser boa mesmo”, contou aos risos. Viviane confirmou que precisou dar o primeiro passo para que o primeiro beijo acontecesse de fato. E ainda entregou José Aldo. “Uma vez ele resolveu me deixar na parada de ônibus quando eu estava voltando para casa. E eu achei que naquele dia iria rolar alguma coisa, que ele fosse me beijar... mas aí ele viu um carro parar, falou ‘olha meu pai ali’ e foi embora! É por isso que ele fala que eu fui atrás dele (risos)”, recordou Viviane.

O namoro começou e o pedido de casamento veio rápido. Em maio de 2006, Aldo venceu Thiago Meller no evento Golden Fight, realizado em Teresópolis-RJ, quando resolveu declarar todo o seu amor ainda dentro do octógono. “Ele pegou o microfone e falou que queria casar comigo em no máximo três meses. Eu fiquei sem saber o que fazer na hora! Paralisada, mas feliz ao mesmo tempo. Foi algo lindo”, relatou Viviane, enquanto Aldo sorria. Casca grossa também ama!

Resistência da família superada

Aldo e Viviane também precisaram superar muita coisa para ficarem juntos. Criada em uma família de classe média, Vivi precisou vencer a resistência de familiares e amigos em aceitar o relacionamento. “Um lutador, na visão deles, era uma pessoa sem futuro. Meu pai não aceitava. Mas, hoje em dia, ele tem orgulho e mostra para todos os amigos que o genro dele é o José Aldo. Sempre acreditei que o Aldo iria longe. Isso ajudou a gente a superar tudo”, contou. O dono do cinturão dos penas do UFC também citou a desconfiança como um obstáculo derrubado. “A gente não sabia se poderia dar certo ou não. Mas dentro de mim, eu sabia que iria vencer. Só precisava correr atrás e treinar muito. E a Vivi acreditou no sonho para ficar ao meu lado”, enumerou o campeão, todo derretido.