Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Nacional de Borba (AM) pronto para os novos desafios

Nacional Borbense se prepara para encarar pela primeira vez na história a primeira divisão do Campeonato Amazonense

Jogadores do Naça entraram para a história do clube com o acesso obtido à Série A

Jogadores do Naça entraram para a história do clube com o acesso obtido à Série A (Arquivo)

Conhecido como o Camaleão da calha do Madeira, a Associação Recreativa Clube Nacional Borbense (ARCNB), vai disputar pela primeira vez, ao longo dos seus 24 anos de existência, a Série A do Campeonato Amazonense de 2014. Numa demonstração de amor pelo clube e compromisso, os jogadores do Naça Borbense fizeram a alegria do Município de Santo Antônio de Borba (a 151 quilômetros de Manaus) conquistando o vice-campeonato da Série B e o acesso à elite do futebol do Amazonas, este ano, sem receber salários. Dos 22 jogadores que fizeram parte do plantel, somente o zagueiro Fábio Gomes, ex-Fast era remunerado.

Artilheiro da equipe com três gols em quatro partidas, o atacante Simão, fala emocionado do “pacto” feito pelos jogadores para garantir o clube na primeira divisão do futebol amazonense. A diretoria do Camaleão já traça as diretrizes para o ano que vem.

“Foi uma grande conquista. Jogamos por amor ao clube e cidade, não tinhamos recursos e nem patrocínio de ninguém. Os jogadores trabalhavam de manhã e à tarde iam treinar, mas não reclamávamos ou chegávamos atrasados. Cada um procurava dar o melhor de si nos treinos e durante as partidas. Eu trabalhava na minha loja de armarinho e depois estava nos treinos”, disse, emocionado, Simão, que há oito anos joga pelo Nacional Borbense.

Experiência

Já para o zagueiro Fábio Gomes, com passagem pelo Libermorro, Fast Clube, Nacional e Naútico-RR, a experiência de jogar num clube do interior do Estado foi inesquecível. Ele disse que o acesso foi um grande presente para esse grupo que deu o melhor para colocar o Camaleão na Série A do Estadual.

“Foi uma experiência nova. Nunca tinha jogado numa equipe que a maioria dos jogadores não recebiam salários. Isso foi acertado por eles já que não haviam recursos. Mesmo assim era uma equipe disciplinada e de qualidade. Me surpreendeu ver a dedicação e o esforço deles nos treinamentos e nos jogos. Eu nunca tinha visto se fazer futebol sem dinheiro. Estamos conversando para ver se permaneço no Naça, mas também tenho propostas de outros clubes de Manaus”, diz o zagueiro, confirmando ser um dos poucos que recebiam salário.

Irmãos comandam Borbense

Torcedores do Nacional Futebol Clube, os irmãos Francisco Robsoney, atual treinador do clube, e José Rodenilson da Fonseca, se inspiraram no clube da capital para fundar o Naça Borbense na década de 1980, quando o Nacional de Manaus disputava o Campeonato Brasileiro de 1986 e venceu grandes equipes do cenário nacional como Atlético Mineiro, Palmeiras, Santa Cruz e Internacional.

A performance foi tão boa que o ex-jogador profissional do América e CDC Manicoré, que atuou profissionalmente por três anos, mas deixou o futebol devido a uma ruptura no ligamento cruzado anterior da perna, fundou o Clube Nacional Borbense no dia 1º de janeiro de 1989. Mesmo assim, sua paixão pelo esporte deu forças para Robsoney jogar durante 22 anos como amador, inclusive na seleção borbense, na Copa dos Rios e competições regionais do Município de Borba (a 151 quilômetros de Manaus).

“O clube foi fundado na década de 80 e começamos no futsal e em 2004 no futebol de campo. De lá prá cá já vencemos várias competições na região inclusive conquistando quatro vezes o título de campeão borbense. O Nacional de Manaus foi a nossa grande inspiração na década de 80 quando venceu em Manaus o Atlético Mineiro, Internacional e Palmeiras. Então decidimos fundar um Naça que fosse de Borba”, explicou Robsoney.

Agora na função de treinador, Robsoney espera fazer uma grande campanha na primeira divisão do Campeonato Amazonense de 2014 e surpreender os favoritos. O primeiro desafio é o Nacional de Manaus no dia 1º de fevereiro no estádio Roberto Simonsen, campo do Sesi. Apesar da admiração pelo clube da capital que inspirou a criação do Naça Borbense, quando a bola rolar o objetivo será fazer história conquistando a primeira vitória na Série A.