Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Queniano Edwin Kipsang conquista bicampeonato na Corrida de São Silvestre

O corredor brasileiro Giovani dos Santos conquistou a quarta colocação. Entre as mulheres, a vitória foi de Nancy Kipron, com a marca de 51 minutos e 58 segundos

Cerca de 25 mil pessoas, entre corredores profissionais e atletas amadores, participam da 88ª edição da Corrida Internacional de São Silvestre

Cerca de 25 mil pessoas, entre corredores profissionais e atletas amadores, participam da 88ª edição da Corrida Internacional de São Silvestre (Marcelo Camargo/ABr)

Os atletas do Quênia voltaram a vencer a tradicional Corrida Internacional de São Silvestre. No masculino, o queniano Edwin Kipsang conquistou o bicampeonato este ano com o tempo de 43 minutos e 47 segundos. O corredor brasileiro Giovani dos Santos conquistou a quarta colocação. Entre as mulheres, a vitória foi de Nancy Kipron, com a marca de 51 minutos e 58 segundos. Sueli Pereira Silva, sexta colocada, ficou com a melhor posição entre as brasileiras.

Kipsang avalia que o fato de estar mais familiarizado com o percurso fez com que conseguisse melhorar ainda mais o seu tempo na prova. “No ano passado, entrei meio às cegas e foi mais difícil. Agora foi mais tranquilo”, declarou. Em 2012, ele havia conseguido a marca de 44 minutos e quatro segundos. O queniano disse ainda que o treino conjunto e a prova em parceria ajudam a explicar a hegemonia do país na corrida de São Silvestre. “A gente vai correndo, conversando e controlando o ritmo. Sabemos realmente qual estratégia vamos seguir a partir daí”, completou.

O brasileiro Giovani dos Santos comemorou a colocação conquistada, com o tempo de 44 minutos e 49 segundos. “Consegui estar junto [dos quenianos] quase o tempo todo. Não consegui vencer ainda o Kipsang, mas uma hora a gente vai chegar.” Ele avalia que, no km 11 e no km 12 da prova, os atletas do Quênia começaram a forçar mais a corrida, porque perceberam a sua aproximação. “Se estivesse com eles na subida da [Avenida] Brigadeiro [Luiz Antônio], estaria melhor”, apontou. Giovani relatou ter sentido dores na panturrilha direita, o que prejudicou o seu desempenho.

O pódio masculino foi completado por mais dois quenianos. Mark Korir, que conquistou a terceira colocação no ano passado, avançou uma posição e ficou em segundo neste ano. Ele fez o tempo de 44 minutos e oito segundos. O progresso de Stanley Koech foi ainda maior. Ele saltou da décima primeira posição em 2012 para a terceira colocação, com uma marca de 44 minutos e 29 segundos. O quinto lugar na premiação ficou com o marroquino Abderrahime Elasri.

No feminino, a segunda colocação ficou com a atleta etíope Netsanet Gudeta Kebede, que fez o tempo de 52 minutos e oito segundos. A terceira posição foi conquistada pela tanzaniana Jacklie Juma Sakilu. Também do Quênia, a atleta Sara Ramadhani Makera, quarta colocada, passou mal logo após finalizar a prova. Depois de ser atendida pelo serviço médico, recuperou-se a tempo de participar do pódio. A queniana Delvine Relin Meringor completou o time de premiadas com a quinta posição.

A brasileira Sueli Pereira da Silva, sétima no ano passado, ficou satisfeita com o avanço para a sexta colocação neste ano. “Corri bem melhor, mas não deu pra correr como planejei, de igual para igual com as quenianas”, avaliou. Ela acredita que o treinamento das atletas brasileiras deve se intensificar para que o nível se iguale ao das africanas. “Temos que competir menos e treinar mais, assim como elas. No segundo, terceiro quilômetros [da prova] já tinha poucas brasileiras”, lamentou.