Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Parceria entre clubes de xadrez mira na valorização do esporte durante torneio em Manaus

Torneio Aberto do Clube de Xadrez Manauara começou nesta sexta-feira (8) à noite e se estenderá até este domingo (9), no bairro do PQ 10, Zona Centro-Sul

O Clube de Xadrez Manauara vai entregar R$ 1 mil ao campeão

O Clube de Xadrez Manauara vai entregar R$ 1 mil ao campeão (Divulgação)

A parceria entre o Clube de Xadrez Manauara e a Federação Amazonense de Xadrez (FAX) promete crescer e valorizar o esporte na capital amazonense. Essa união, em prol do esporte que exige total atenção dos competidores que usam o tabuleiro com 32 peças, começou ontem com a disputa do 1° Aberto do Clube de Xadrez Manauara, reunindo mais de 20 competidores disputando na categoria absoluta.

A competição será na Avenida Tancredo Neves, Parque 10 de Novembro, número 1122, Sala 401, Zona Centro-Sul. As disputas serão realizadas até amanhã à tarde.

Criado há pouco mais de seis meses, o clube - com 13 abnegados que tiram dinheiro do próprio bolso para pagar o aluguel de uma sede - abrirá a sala de competição para reis do xeque-mate. “O clube está começando agora. Em Manaus não existe nenhum clube na ativa com espaço para jogadores e a instituição chega com essa ideia. Hoje o xadrez funciona em uma pequena sala na Vila Olímpica e não tem um espaço para você levar seu filho ou sou amigo. Aqui temos uma sala para 40 pessoas. Colocamos um limite de 25 inscritos, justamente para termos conforto”, destacou o presidente do clube e diretor geral do torneio, Rudson Peixoto.

A nova “casa do xadrez” do Amazonas também é comemorada pela FAX. “A federação realiza várias competições e é a primeira vez que o clube abre as portas. É um local muito bom para a prática do xadrez e vai ajudar muito no desenvolvimento”, avaliou o diretor técnico da federação, Andrey Neves.

Mestres presentes

Para engrandecer ainda mais as disputas e aumentar o nível das partidas, cinco mestres enxadristas, sendo três amazonenses e um roraimense, disputam o torneio.

“São poucos os jogadores que atingem o nível de mestre. Quando você compete com jogadores mestres certamente o nível técnico aumenta. É a oportunidade dos jogadores aprimorarem a qualidade e é uma oportunidade de crescer com adversários teoricamente mais fortes”, disse Andrey Neves, que tem o título de mestre e compete nas disputas locais.

Mais torneios e aulas

Prevendo o sucesso da inédita parceria e do torneio, os dirigentes do clube já estudam a segunda edição, com ares ainda mais profissionais.

“O próximo aberto, estamos pensando em fazer em um salão. A pretensão é alugar o salão de um hotel, de preferência que seja de fácil acesso. E com a chegada de novos atletas não ficaremos em um local apertado”, ressaltou.

Além das competições, a meta do clube é expandir o esporte. Para isso, a federação está programando cursos de aprendizagem do xadrez para crianças. “Depois desses eventos queremos realizar cursos para crianças a partir de seis anos de idade. Estamos se estruturando para receber parcerias e por em prática os trabalhos”, revelou Rudson, que sentiu necessidade criar o clube após amigos procurarem, sem êxito, locais para jogos.

“Queremos fortalecer a questão das opções. Muitas pessoasde outros Estados vem para Manaus e não sabem onde praticar xadrez. Também pretendemos fazer com que o esporte seja praticado por mulheres. Atualmente o esporte é dominado por homens”, apontou.