Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Confira o penúltimo capitulo da Série ‘Que País é esse?’, especial Inglaterra

O Craque apresenta nesta sexta-feira (23) a Inglaterra, o país que criou o futebol e que é tão apaixonado pela modalidade, quanto o Brasil

Fera Wayne Rooney é o jogador símbolo da Inglaterra

Fera Wayne Rooney é o jogador símbolo da Inglaterra (Divulgação)

No penúltimo capítulo da série “Que País é esse?”, o CRAQUE apresenta a Inglaterra, o país que criou o futebol e que é tão apaixonado pela modalidade, quanto o Brasil. Mas, antes de descobrirmos todos os encantos deste lugar, vamos fazer uma viagem no tempo voltando ao ano de 1900. Época em que os ingleses, por conta do ciclo da borracha, resolveram migrar para a cidade e de quebra investir na infraestrutura da cidade, deixando um legado que dura até os dias de hoje.

Foram os ingleses, por exemplo, que instalaram a energia elétrica por aqui, assim como o sistema de esgoto da cidade. Foram eles também que construíram o prédio da Alfândega, o porto flutuante, o Mercado Municipal, Adolpho Lisboa e até introduziram o futebol no Estado, há exatos 100 anos. Assim, não seria exagero nenhum dizer que a Copa do Mundo va trazer, de certa forma, os ingleses “de volta” para casa. A Inglaterra enfrenta a Itália no dia 14 de junho na Arena da Amazônia.

Polêmica

Antes mesmo de a bola rolar, uma polêmica envolveu ingleses e amazonenses. O técnico do English Team, Roy Hodgson, declarou que Manaus era uma capital a ser evitada, por conta da distância e principalmente por causa da forte temperatura.

“A maioria das pessoas de Londres concorda com o treinador. Para eles, a Inglaterra não deveria jogar em Manaus. Eles acham que a equipe será prejudicada por conta do calor “, disse Victor Affonso, editor do Portal acritica.com e que esteve em Londres (capital da Inglaterra) no início do ano.

Para o inglês Vincent Brown, que mora em Manaus há 23 anos, poucos ingleses devem vir para Manaus acompanhar o jogo contra a Itália.

“Uma viagem para Manaus tem um custo muito alto e a seleção da Inglaterra atual não está empolgando. Por isso, eu acredito que teremos poucos torcedores ingleses por aqui”, disse Brown.

O editor de fotografia de A CRÍTICA, Clovis Miranda, que passou um mês em Londres, cobrindo as Olimpíadas de 2012, disse que a cidade é um exemplo a ser seguido.

“Os ingleses são bastante educados e eles também obedecem às regras. Durante os Jogos de 2012 não lembro de ter visto nenhum tumulto. Tudo funcionou perfeitamente. Eles fizeram campanha pela rádio para que a população evitasse andar por Avenidas movimentadas durante o evento e esse sistema funcionou muito bem e o trânsito fluiu tranquilamente”, completou o editor.