Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Neymar torce para Argentina ser campeã por causa de Messi

O craque concedeu entrevista coletiva na Granja Comary, em Teresópolis, na tarde desta quinta-feira (10), quando falou de sua preferência pelos hermanos e se emocionou ao falar da lesão que o deixou fora dos jogos e da derrota histórica da seleção Brasileira

Neymar participou de coletiva da CBF, nesta quinta-feira (10)

Neymar participou de coletiva da CBF, nesta quinta-feira (10) (Jefferson Bernardes/VIPCOMM)

Após a joelhada sofrida no final da partida contra a Colômbia, o camisa 10 da seleção Neymar Jr se pronunciou pela primeira em uma coletiva de imprensa realizada na Granja Comary, localizada na região serrana do Rio de Janeiro. Ainda abatido, o jogador respondeu a quase 45 minutos de perguntas do jornalista do mundo todo.

Neymar revelou que torce para que a Argentina vença a final do Mundial e muito emocionado, falou também sobre a entrada do jogador Zuñiga. Ele afirmou também que, mesmo que o Brasil passasse para a final, não teria condições de jogo. Confira abaixo trechos da entrevista.

Sobre a torcida pela Argentina

“Vou torcer pela Argentina, pois tenho dois amigos lá (Messi e Mascherano). Espero muito que os meus companheiros vençam. Fará um bem muito grande ao futebol e também, por tudo que o Messi já conquistou. Ele merece ser campeão. Estou na torcida por ele que é um amigo. Um companheiro. Desejo muita sorte para os dois”, falou.

Um jornalista argentino presente na coletiva, questionou o motivo do jogador torcer por um argentino. Neymar, com muito senso de humor, riu e justificou a torcida.

“Todo mundo deve ter achado engraçado um brasileiro torcer para a argentina. Mas estou torcendo para os companheiros. Uma pessoa que passei a admirar ainda mais. Um jogador que tinha como espelho, e um ídolo que admirava de longe. Passei a admirar ainda mais o Messi como pessoa e ver nos treinos ele é tão especial como nos jogos. Desejo sim toda sorte do mundo para Messi e Mascherano. Eles merecem muito”, afirmou.

Lições da derrota

Em um determinado momento, o jogador foi indagado sobre qual lição a seleção poderia tirar deste mundial, o primeiro disputado por ele. Sem responder pelo grupo, o jogador preferiu falar da experiência pessoal e disse que a seleção irá procurar a vitória no sábado, quando disputa o terceiro lugar contra a Holanda.

“Tirei lição de tudo. Vou treinar mais, concentrar mais e percebi que eu preciso querer treinar mais e mais. Pois hoje, o nível em uma copa é igual a todos os times. Então, para conquistar o título, você precisa ter algo a mais. Vou levar principalmente o aprendizado. Aqui são 23 pessoas e ninguém pensa igual ao outro. Começamos essa história juntos lá atrás. Não é por causa de uma goleada que sofremos que a nossa história vai acabar. Já fui aplaudido.. vaiado. Hoje faço parte de um time que vai fazer história. Vamos ficar marcado pelo time goleado, assim como o Barbosa em 1950. Então, vamos a volta a por cima. Vamos sorrir. Já passou. Já choramos o que tinha para chorar. Agora é treinar e se dedicar mais. Vamos entrar em campo no sábado para vencer”, disse.

Sobre a lesão que o tirou do mundial

Segundo Neymar, o lance que o tirou do mundial é inaceitável e deveria ser punido pelas regras do futebol, pois não seria desta maneira que o jogador deveria ser parado.

“Falando sobre o lance, foi algo que eu não concordo e não vou aceitar. Não foi falar que foi desleal porque eu não estava na cabeça dele para saber disso. Mas quem entende de futebol, sabe o é uma entrada normal e atípica. Quando você quer fazer falta para parar um jogo, principalmente de costas, você chuta ou empurra. Mas da forma como ele veio e como a bola chegava, não é de jogo. Sei que já tive rótulo de cai-cai. Mas quando tenho a visão periférica, posso me defender. De costas eu não consigo. E da maneira que foi infelizmente não tinha como me defender”, afirmou.

O momento mais marcante da coletiva foi quando o craque brasileiro chorou ao lembrar da lesão na coluna que por pouco não o deixou paraplégico. O jogador interromper a coletiva,chorou e pediu desculpas aos jornalistas.

“Quanto ao lance, por pouco não aconteceu um desastre. Dois centímetros para dentro... (começa a chorar...) desculpa... (ainda chorando) eu poderia estar em uma cadeira de rodas. É complicado (chorou ainda mais)... Estou em um momento importante da carreira. Ia sSofrer ainda mais. Mas faz parte. O que aconteceu ficou para trás e vida que segue”, disse o jovem.

Falando de perdão

Embalados pela emoção estampada no rosto do jogador, um jornalista brasileiro perguntou se Neymar Jr desculparia o colombiano. Prontamente o jogador do Barcelona respondeu que sim.

“Eu desculparia sim. Perdoaria também. Eu não sinto rancor dele, nem ódio. Ele me ligou no outro dia. Falando que não queria me machucar, que sentiria muito e algumas coisas legais. Eu desejo que Deus o abençoe e que ele tenha sucesso na carreira dele”, disse.

Felipão fora da Seleção

Ao ser questionado o que o jogador achava do técnico Luis Felipe Scolari, agora, que seleção foi eliminada, sem papas na língua, Neymar admitiu que preferiria a permanência do treinador.

“Nós brasileiros, principalmente a imprensa tem a mania um pouco errada de que perdeu tem que mudar. Tem que mudar jogador e treinador. Mas o futebol não é assim. Eu aprendi que não é assim. Perdeu o treinador sai. Não é assim. Não to falando em mudança, mas essa mania de troca de treinador de quando se perde tem que mudar. Não é assim. Quando se perde, tem que corrigir. Ver onde errou. É mais importante arrumar do que mudar”, concluiu.

Questionado sobre as críticas de seu empresário Wagner Ribeiro, que chamou Felipão de velho gagá e imbecil, Neymar diz que não concorda com a declaração pelo respeito que tem por Felipão, mas que as únicas que se responsabilizam pela sua carreira é ele mesmo e seu pai.

“O que saiu do Wagner é a explicação dele, ele que tem que tomar atitude. Ele é uma pessoa que eu admiro, mas não concordo e não aceito a atitude do Wagner. Eu ainda não o vi, mas quando o ver, vou xingar sim porque não aceito (falar do Felipão)”, disse.

‘Respeite a amarelinha’

E no final, um jornalista chinês perguntou do jogador se a seleção brasileira deixou de ser aquele time que encantava e de representar a seleção do país do futebol. O jogador discordou na resposta.

“Seleção brasileira é a seleção brasileira. Vai ser sempre o país que encanta com o seu futebol. Independente do que aconteceu, perdendo ou ganhando será sempre admirável. E nós jogadores vamos fazer tudo para manter. Até ontem éramos cotados ao título e que chegaríamos à final. E por uma derrota dizem que não é mais nacional. Não é assim. Sempre seremos a Seleção Brasileira, independente da goleada. Estamos correndo esse risco. Mas desrespeitar como foi a sua pergunta, não concordo”, disse para encerrar a coletiva.