Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Operários da Arena da Amazônia repassam cortesias de ingressos para mãos de cambistas

Reportagem flagra cambistas assediando trabalhadores da Arena sob às vistas da Polícia Militar para revender cortesias para o jogo Nacional x Remo


Cambistas assediam operários para negociarem ingressos que serão revendidos na hora do jogo

Cambistas assediam operários para negociarem ingressos que serão revendidos na hora do jogo (Evandro Seixas)

A falta de ingressos para o jogo entre Nacional e Remo, pela Copa Verde na inauguração da Arena da Amazônia Vivaldo Lima, que acontece amanhã, motivou a ação de cambistas que ontem “furaram” o esquema de segurança da Unidade Gestora do Projeto Copa (UGP Copa) e agiram livremente na porta da Arena da Amazônia.

No momento em que os operários receberam dois ingressos e saíam do trabalho, eram abordados pelos cambistas que estavam oferecendo até R$ 150 pelos dois bilhetes. Uma viatura da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam) com três policiais militares estava bem perto da ação dos cambistas, mas os PMs não perceberam a ação criminosa. No domingo está previsto pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) que 200 investigadores da Polícia Civil estarão infiltrados entre os torcedores para tentar coibir a ação de cambistas.

Segundo a assistente de serviços gerais Sandra Mara Silva, que recebeu dois ingressos ontem, ela deve ir acompanhada da filha para torcer pelo Remo.

“Cada funcionário recebeu dois ingressos. Os cambistas estão oferecendo até R$ 150 pelos bilhetes e disseram que vão vender por R$ 200, mas não vou negociar os meus ingressos. Vou torcer pelo Remo que deve vencer por 2 a 1”, afirmou Silva.

Já para o amazonense Emerson Lima, torcedor do Nacional, o time amazonense segue para a próxima fase vencendo por 2 a 1. “A expectativa é grande de participar da inauguração da Arena. Fico feliz de ver agora o fruto do nosso trabalho. Venho com a minha esposa para torcer pelo Nacional”, disse Lima .

PARAENSES

Grande parte dos operários que trabalharam na Arena da Amazônia eram paraenses e a torcida pelo Remo é grande contra o Nacional. “Sou paraense da cidade de Almerin (PA), trabalhei seis meses na Arena na área de pintura. Deveria haver mais ingressos para poder trazer minhas duas filhas. Como só tenho dois ingressos  venho com a esposa. Arrisco que o o Remo vai ganhar por 2 a 1”, aposta Francisco das Chagas.