Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Peneira do Palmeiras reúne jovens candidatos ao futebol profissional do Amazonas

Até a Mancha Verde promete comparecer à seleção, realizada no Complexo Mahamed Assis, em Iranduba, nesta quarta (4) e quinta (5)

Edvaldo Sousa Marques [Palmeiras]

Edvaldo Sousa Marques já revelou nomes como o goleiro Victor; Rever, do Atlético Mineiro; Nenê, do Paris Saint-Germain; e Cristian, do Fenerbahce (Antonio Lima)

“Mostrar que, de fato, é campeão!”. A pequena frase do hino do Palmeiras mais do que nunca vai ser vivida por cerca de 352 jovens do Amazonas, de 13 a 16 anos, que vão disputar a peneira do clube, nesta quarta (4) e quinta (5), em Iranduba (a 27 km de Manaus), no Complexo Mahamed Assis, na busca de brilharem pelos gramados de São Paulo e do Brasil.

De olho no mercado desvalorizado pelos clubes locais, o Palmeiras enviou para Manaus o coordenador de captação do clube, Edvaldo Sousa Marques, 51, o Palinha, que vai avaliar se o Amazonas possui talentos a serem inseridos no clube. “Temos a esperança de haver muito interesse por parte dos garotos. O Amazonas ainda tem a cultura de jogar futebol na rua, brincar, que acho fundamental para se começar a ter talento. Acredito que vou encontrar alguma coisa sim. Não conheço como é o futebol aqui e como é o perfil dos meninos, mas esperamos ter um saldo positivo”, disse o coordenador. Revelar jogadores para o mercado futebolístico nacional e até mundial é a função de Edvaldo.

No currículo do coordenador, nomes que atualmente brilham pelos gramados servem como mostra de que o trabalho está sendo desempenhado de forma correta.

“Ajudei a revelar nomes quando trabalhei pelo Paulista: o Victor goleiro e o zagueiro Rever, do Atlético Mineiro, o Nenê (Paris Saint-Germain, França), o Cristian (Fenerbahce/Turquia). Foram dez anos como técnico do Sub-15 e 20 e na coordenação de avaliação. Deu para desempenhar um bom trabalho”, declarou.

Responsável por trazer a peneira palmeirense para Manaus, Paulo Nascimento conhece de perto as dificuldades dos jovens que um dia sonham em jogar futebol profissionalmente.

“Os clubes e dirigentes de Manus não valorizam e dão qualidade aos jovens. As equipes de fora possuem uma melhor estrutura e valorizam as categorias de base. Por isso damos essa oportunidade”, revelou Paulinho, que atua como olheiro pelos campos da Região Norte.

Torcida ‘canta e vibra’
Com motivos de sobra para celebrar o retorno do Verdão à Série A, os torcedores da principal torcida organizada do clube, a Mancha Verde, estão acompanhado o coordenador do Palmeiras. É a forma de ficar mais perto do clube, mesmo que longe de São Paulo.