Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Em entrevista, técnico de Camarões diz que Eto’o pode jogar contra o Brasil

Mesmo desclassificada, Volker Finke diz que seleção de Camarões jogará em clima de decisão. Equipes se enfrentam nesta segunda-feira (23), em Brasília

Volker Finke disse que o que importa é fazer uma boa partida

Volker Finke disse que o que importa é fazer uma boa partida (Clovis Miranda)

O técnico da seleção de Camarões, Volker Finke avisou neste domingo (22) que o craque do time, Samuel Et’o pode jogar “alguns minutos” contra o Brasil. Os times se enfrentam pela última rodada do Grupo A, na primeira fase da Copa do Mundo nesta segunda-feira (23), no estádio Mané Garrincha, em Brasília às 16h (horário de Manaus).

Além de falar do principal astro do time, o técnico negou qualquer possibilidade de manipulação da partida, assunto que chegou a ser comentando pela Fifa – uma vez que a seleção de Camarões  está fora do torneio – e garantiu que os “leões indomáveis” vão jogar como se fosse uma decisão.

A seguir os principais trechos da entrevista coletiva em que A CRÍTICA participou.

O fato de o Brasil entrar pressionado, precisando pelo menos de um empate pode ser bom para o time de Camarões? 

Volker Finke - É claro que se a partida é difícil para o Brasil é possível que haja uma pressão maior (para os donos da casa). Eles também têm que tentar controlar a partida sem se arriscar muito. Nós temos que fazer uma boa partida e depois ver o que acontece. Infelizmente não temos pressão. Realmente só importa fazer uma boa partida.

O que deu errado para a seleção de Camarões e que motivação o time tem para este jogo já que não existe mais chances de classificação?

Ficamos decepcionados. Já estávamos desmobilizados de ter perdido duas partidas. Ninguém quer sair com uma impressão ruim, queremos trabalhar para melhorar nossa reputação e dos jogadores e do futebol dos Camarões. Foram dias difíceis, mas conseguimos mobilizar a equipe os jogadores realmente querem terminar a campanha deixando uma boa impressão.

O diretor de segurança da Fifa, Ralf Mutschke, chegou a falar sobre o risco de manipulação da partida entre Brasil e Camarões, em virtude de o time africano já estar eliminado do torneio. O que o senhor pensa sobre isso?

Isso é um rumor. É a primeira vez que ouço sobre isso. Não tive tempo de ler jornal. Conhecendo a minha equipe, digo que seria impossível. Não precisamos ter esse tipo de suspeita de minha equipe.

A seleção de Camarões teve problemas antes mesmo de embarcar para o Brasil por conta de uma greve por falta de pagamento de prêmios. O que aconteceu dentro da equipe?

Todos viram um comportamento que é inaceitável e isso ficou bem claro para nós. Mas eu não vou fazer sermões. Eu não sou assim. Haverá consequência para os jogadores envolvidos.

Qual é a situação do Samuel Et’o? Ele joga nesta segunda-feira?

A situação de Samuel Et’o é a mesma que tivemos antes do jogo contra a Croácia. Ele faz um trabalho individual, não treina com o grupo, mas desempenha seu papel como capitão. Ele incentiva a equipe, tenta mobilizar a equipe. Talvez ele possa jogar por alguns minutos, mas começar como titular, não. Não acredito que haja nenhum milagre durante à noite.