Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Quebrado, clube carioca Botafogo não descarta abandonar o Campeonato Brasileiro

Presidente do time desabafou com a presidente Dilma Rousseff durante reunião entre clubes e Governo. Justiça bloqueou o dinheiro dos direitos de transmissão do alvinegro carioca

Presidente do Botafogo ameça abandonar o Brasileirão caso o dinheiro do direito de transmissão não seja liberado.

Presidente do Botafogo ameça abandonar o Brasileirão caso o dinheiro do direito de transmissão não seja liberado. (Reprodução/internet)

A situação financeira dos clubes do Rio de Janeiro não está nada fácil. Durante encontro de 12 representantes de clubes com a presidente Dilma Rousseff, nesta sexta-feira (25), em Brasília, o mandatário do Botafogo, Maurício Assumpção, disse que não descarta abandonar o Campeonato Brasileiro por conta das receitas bloqueadas do clube carioca.

Uma ação da justiça determinou o bloqueio de 100% do dinheiro que o “Clube da Estrela Solitária” recebe por direitos de transmissão. O time alvinegro, que possui uma dívida de R$ 700 milhões, ainda tem penhoras que impedem o recebimento de receitas importantes, como a venda de jogadores.

Antes mesmo do encontro com Dilma - que também contou com jogadores e executivos ligados ao projeto Bom Senso Futebol Clube -, Assumpção tinha marcado uma reunião, nesta semana, com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para discutir o assunto. A entidade, porém, cancelou o compromisso sem mais explicações.

De acordo com o site da ESPN Brasil, Dilma se mostrou surpresa com a situação do Botafogo. O diálogo entre Dilma e o presidente do clube teria sido seguinte forma:

Dilma Rousseff: "Qual é a porcentagem das receitas que estão bloqueadas?"

Mauricio Assumpção: "100%, presidente."

Dilma Rousseff: "100% da receita está bloqueada?!"

Maurício Assumpção: "É isso, presidente."