Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Série Craque Espião: Angel di Maria, o anjo argentino

Mesmo ofuscado pela grandiosidade de Messi, habilidoso atacante da Argentina é trunfo para momentos decisivos

Di Maria é o único jogador argentino a conquistar quatro vezes o título de melhor jogador do mundo da Fifa

Di Maria é o único jogador argentino a conquistar quatro vezes o título de melhor jogador do mundo da Fifa (Reprodução)

A Argentina não perde a “mania” de produzir grandes jogadores canhotos. De Diego Maradona a Lionel Messi, os hermanos volta e meia “brindam” os amantes do bom futebol com o surgimento de craques que carregam no pé esquerdo a técnica e a habilidade que fazem deles um ídolo para os argentinos e uma ameaça para os adversários.

Angel di Maria é um deles, embora ofuscado pela idolatria internacional a Messi, o único jogador a conquistar quatro Bolas de Ouro (título de melhor jogador do mundo na Fifa). Com nome de anjo, mas estando mais para “capetinha” diante das defesas adversárias, o meia-atacante é uma das principais armas do elenco argentino para a Copa.

Decisivo

Um dos seus maiores trunfos, inclusive, é de crescer quanto mais importante é o torneio que está disputando. Prova disso é o primeiro título como profissional conquistado pelo jogador: as Olimpíadas de 2008, em Pequim, na China.

Depois de dar uma das assistências para a vitória de 3 a 0 da Argentina sobre o Brasil, os hermanos enfrentaram o bom elenco da Nigéria, vencendo os africanos com um golaço do jovem de então 20 anos de idade, que encobriu o goleiro nigeriano com um toque de classe, dando o título de campeão olímpico para a Argentina.

Perfil: Angel di Maria

Títulos

Vencedor pelo Benfica, foi campeão da Taça da Liga nas temporadas 2008/2009 e 2009/2010 e do Campeonato Português de 2009/2010. No Real, conquistou o Espanhol de 2011/2012, duas Copas do Rei (2010/2011 e 2013/2014), a Supercopa da Espanha 2012; pela Argentina, e as Olimpíadas de 2008, em Pequim.

Passe

Rodado: com três clubes na carreira e apenas 26 anos de idade, Di Maria já tem, no entanto, uma grande experiência em campeonatos importantes. Na Copa de 2010, foi titular em todas as partidas pela Argentina, eliminada pela Alemanha nas quartas-de-final.

Visão de jogo

Completo: muito habilidoso e veloz, Di Maria também tem excelente controle de bola, precisão no passe e ótimo chute a gol. Com a bola, muda de velocidade com tanta rapidez que torna quase impossível pará-lo quando corre em direção ao gol.

Clube

Moral: ascendido ao profissional do time de sua cidade natal Rosário Central, foi contratado pelo Benfica por 25 milhões de euros em 2007 e pelo real por 35 milhões no ano de 2010. Na lista dos que poderiam sair do clube merengue em 2013, teve sua permanência pedida pelo craque Cristiano Ronaldo.

Capacidade física

Velocidade: assim como Messi, Di Maria tem como trunfo tanto a rapidez quanto a capacidade de condução de bola sem perder em velocidade, dificultando a atuação dos marcadores. Com a habilidade própria dos argentinos, também é um driblador desconcertante.

Raciocínio

Bom de passe: as inversões de bola, enfiadas e lançamentos de longa distância indicam que não é só de dribles e chutes a gol que vive esse craque argentino. Canhoto tradicional, evita a perna destra até mesmo quando cai pela direita do campo, quando por vezes aplica um bonito passe de perna trocada.

Comportamento

Bad boy? Di Maria já protagonizou cenas e fez declarações polêmicas. Numa dessas situações, supostos gestos obcenos do jogador em partida contra o Celta repercutiram pelo mundo, mas foram negados pelo jogador, que alegou estar apenas com a mão na virilha.