Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Tubarão e Leão da Vila se enfrentam neste sábado (24), pela decisão do Estadual

O Nacional, do técnico Sinomar Naves, precisa vencer por três gols de diferença enquanto o Princesa, de Marcos Piter, pode ser bicampeão até perdendo por 2 a 0; transmissão será feita pela TV A CRÍTICA

Sinomar pegou o time na reta final e deu novo ânimo ao Naça

Sinomar (no centro) pegou o time na reta final e deu novo ânimo ao Naça (J.Renato Queiroz)

Quando a bola rolar, às 15h de hoje, no estádio Roberto Simonsen, o técnico do Princesa do Solimões, Marcos Piter, 40 anos, e o treinador do Nacional, Sinomar Naves, 60, vão travar o último duelo do ano, para ver quem ficará com o título do Campeonato Amazonense Chevrolet 2014. Como num tabuleiro de xadrez, os treinadores finalistas estarão aplicando suas melhores estratégias para neutralizar o adversário.

Pelo lado do Tubarão a vantagem do técnico Marcos Piter é significativa. Por ter vencido o primeiro jogo da decisão por 2 a 0, o time da “Terra da Ciranda” joga a final por dois resultados iguais e pode até perder por dois gols de diferença para ficar com o bicampeonato Estadual.

“Temos que jogar com inteligência. O Princesa tem um esquema tático definido e ofensivo e não vai fugir das suas características. O Nacional é um time grande, tem camisa e tradição, mas futebol se decide é dentro de campo”, afirmou o cauteloso treinador Marcos Piter.

No Leão da Vila Municipal, o experiente treinador Sinomar Naves, aposta no trabalho de motivação feito durante a semana que antecedeu ao clássico para reverter a vantagem do adversário. “O time já está definido, mas só vamos divulgar a escalação momentos antes da partida. Sabemos que, pela necessidade de atacar para reverter a vantagem de dois gols, vamos nos expor aos contra-ataques, mas treinamos para neutralizar essa forte jogada do Princesa que tem muitos bons jogadores e vamos ter cuidado com todos. Já sabemos o que fazer em campo para reverter o quadro”, afirmou o misterioso e experiente treinador azulino.


Marcos Piter já está completando duas temporadas no Tubarão

Dentro de campo

Apesar da vantagem de poder perder até por dois gols, o meia-atacante Michel Parintins, artilheiro do Estadual com 11 gols, afirma que o time não vai jogar com o regulamento embaixo do braço. “Vai ser importante a gente não levar um gol no início do jogo. Sabemos que não tem nada definido e a vantagem de 2 a 0 é um resultado perigoso. Vamos jogar no ataque. Não vamos ficar esperando atrás pra levarmos gols”, disparou o artilheiro do Estadual.

O zagueiro nacionalino, Índio, sabe da responsabilidade de parar o ataque do Tubarão. “É um jogo complicado. Temos que marcar três gols e não levar nenhum. Estamos prontos para lutar até o fim”, disse o zagueiro.

Torcedores especiais

A partida que pode dar o bicampeonato amazonense ao Princesa vai ser acompanhada (via TV A Crítica) pelos mais apaixonados torcedores do Tubarão do Solimões. Entre eles, uma especial: Edenila Bastos, 74, mãe do técnico Marcos Piter. “Tem gente que ainda fica falando mal dele. Vou fazer 75 anos e nunca o Princesa chegou tão longe quanto chegou agora. Eu já disse para ele: ‘Meu filho, antes de eu morrer, levo esse orgulho comigo”, disse a “mãezona” que acompanha o trabalho do filho nos estádios. “Eu vou para os jogos. Na final do campeonato de 2013 um torcedor ficou xingando o Marquinho, chamando de ‘filho daquilo’. Eu fiquei ouvindo, mas acabei me cansando e fui pedir para ele parar de me xingar porque eu era a mãe do Marquinho. Depois disso ele parou e me pediu desculpas”, sorri a professora aposentada.

Hoje, apoio é o que não faltará ao Tubarão. Até ontem, 33 ônibus estavam confirmados para trazer torcedores de Manacapuru. “Só da nossa torcida vão cinco ônibus. Vamos conquistar o bicampeonato. O Princesa está bem e fazendo a diferença. Hoje, o nosso clube e a cidade de Manacapuru são conhecidos no Brasil”, afirmou o presidente da torcida organizada Tubarão do Norte, Antonio de Souza.