Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Tufão e Borbense em guerra na rodada do Estadual

São Raimundo vai ter que ‘vir com tudo’ e ainda torcer por uma vitória do Nacional se quiser ter chance de classificação

Técnico do São Raimundo, o português Luis Miguel está mais preocupado em pontuar que classificar

Técnico do São Raimundo, o português Luis Miguel está mais preocupado em pontuar que classificar (Bruno Kelly )

Com chances remotas de classificação, o São Raimundo aposta hoje todas as “suas fichas”, contra a “zebra” do Estadual o Nacional Borbense no estádio Valdomiro Gusmão, em Manaquiri (a 65 quilômetros de Manaus). Mas a missão do Tufão da Colina não será nada fácil.

Com dois pontos na tabela, o time do técnico lusitano Luís Miguel tem que golear o adversário a partir de quatro gols e torcer para o Nacional vencer o Penarol. Já o Camaleão da calha do Madeira está numa situação mais confortável. Com cinco pontos ganhos, precisa vencer o Tufão ou empatar desde que o Nacional de vença o Penarol para fazer história e conquistar a classificação para a fase semifinal em sua primeira participação na elite do Campeonato Amazonense.

“Vou esperar até momentos antes da partida para ver se posso contar com o atacante Franclin que está no departamento médico com dores no joelho direito, e com o meia-atacante Júnior que está com o tornozelo direito inchado. Sei que será uma partida difícil. Temos que golear por no mínimo quatro gols de diferença e torcer pelo Nacional contra o Penarol. Mas não estou pensando na classificação, mas em fazer três pontos”, afirmou Miguel. O Nacional Borbense vai com força máxima pra cima do Tufão da Colina.

O atacante Da Costa cumpriu suspensão automática contra o Holanda e vai comandar o ataque do Camaleão. “Estou voltando para o time e quero fazer uma grande partida contra o São Raimundo e marcar gols como fiz contra o Nacional. O gramado do Valdizão é bom e isso vai facilitar o nosso toque de bola. Não conheço a zaga deles, mas vou jogar com velocidade pelas laterais do campo e infernizar a vida deles”, prometeu o atacante do Naça Borbense.

Depois de perder duas oportunidades e se classificar jogando em casa, no estádio Gerdilson Bentes, o Jabotão, quando ficou no empate em 1 a 1 contra o Penarol e Holanda, o técnico Francisco Robson acredita que jogando fora dos seus domínios e da pressão da exigente torcida borbense o time vai jogar melhor. “Já era pra gente entrar em campo contra o São Raimundo classificado. Perdemos duas oportunidades de classificar em casa. A pressão da torcida foi muito grande e a ansiedade prejudicou o time”, avaliou Robson.