Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Secretário da Fifa monitora Curitiba e diz que cidades-sede não podem "relaxar" com Arena

Jérôme Valcke visita o Brasil nos próximos dias virá a Manaus no domingo (16)  e em Curitiba na terça-feira (18), quando anuncia se a capital paranaense será mantida na Copa

Jerome Valcke havia cancelado em janeiro sua visita à Manaus para verificar o atraso na obra da Arena da Baixada em Curitiba

Jerome Valcke havia cancelado em janeiro sua visita à Manaus para verificar o atraso na obra da Arena da Baixada em Curitiba (Reprodução)

A 117 dias da Copa do Mundo, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, afirmou que as 12 cidades-sede do torneio não podem "se dar ao luxo de pisar no freio e relaxar" e que a entidade está acompanhando a situação de Curitiba, que corre risco de ficar fora da competição por atraso nas obras da Arena da Baixada.

"Estamos monitorando de perto o andamento das obras em Curitiba a fim de avaliar a situação da sede", disse Valcke em uma coluna no site da Fifa nesta sexta-feira.

"O governo brasileiro, as autoridades municipais e estaduais, a Fifa e o COL (Comitê Organizador Local) estão buscando soluções para ajudar a sede a recuperar o atraso."

A Fifa vai anunciar na terça-feira se Curitiba será mantida na Copa. A Arena da Baixada está com sua reforma atrasada e nesta semana o governo do Paraná fez um pedido de financiamento de 65 milhões de reais junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para concluir os trabalhos.

Em janeiro, Valcke disse que as obras no estádio de Curitiba, que tem previsão de receber quatro jogos da primeira fase, não estavam apenas atrasadas, mas "muito, muito atrasadas".

O secretário-geral da Fifa alertou que as outras 11 cidades também precisam continuar seus trabalhos em ritmo intenso -- cinco sedes ainda precisam entregar seus estádios e estão com o cronograma atrasado, já que a entidade tinha estabelecido como prazo dezembro do ano passado.

"Nenhuma das 12 cidades pode se dar ao luxo de pisar no freio e relaxar - ainda há muitos ajustes por fazer. Os gramados, em particular, devem estar em excelentes condições quando a Fifa assumir os estádios 21 dias antes da primeira partida no respectivo local. Esse ponto é fundamental", afirmou.

"E em nenhuma sede, bem como em nenhum momento, a segurança está ou estará comprometida. Essa é definitivamente a nossa maior prioridade", acrescentou.

O secretário-geral comentou ainda a grande procura por ingressos do Mundial, principalmente pelos brasileiros. Segundo ele, isso "reforça o significado, para qualquer amante do futebol, de se vivenciar uma Copa do Mundo no país pentacampeão mundial".